Itália entra em recessão técnica. Zona euro com crescimento mais tímido dos últimos 5 anos

Os números da economia da Zona Euro não geram grande entusiasmo perante o crescimento tímido do PIB no final de 2018. O crescimento homólogo é mesmo o ritmo mais lento nos últimos 5 anos. Sendo que é de realçar que Itália entrou em recessão técnica.

Italiaexit

De acordo com a estimativa divulgada pelo Eurostat, durante o 4º trimestre de 2018, a economia da Zona Euro registou um crescimento trimestral do PIB de 0,2%, valor idêntico ao registado no trimestre anterior e em linha com as expectativas de mercado. A variação homóloga do PIB foi de 1,2%, depois de ter registado 1,6% no 3º trimestre de 2018.

Os números da economia da Zona Euro não geram grande entusiasmo perante o crescimento tímido do PIB no final de 2018. O crescimento homólogo é mesmo o ritmo mais lento nos últimos 5 anos.

Sendo que é de realçar que Itália entrou em recessão técnica. Designação que se dá quando há dois trimestres consecutivos de queda do PIB (no terceiro trimestre tinha caído 0,1%). Os dados do PIB italiano do quarto trimestre revelam uma queda de dois décimos, enquanto o valor anual passou de 0,6% para 0,1%, quando se esperava um crescimento de 0,3%.

De acordo com o valor preliminar, o PIB da Zona Euro ter-se-á expandido 0,2% em cadeia no 4º trimestre de 2018, em linha com as expectativas de mercado. Em termos homólogos o crescimento foi de 1,2%, o ritmo mais fraco em cinco anos. A taxa de desemprego permaneceu em 7,9%.

No que respeita à União Europeia a 28, o crescimento trimestral do PIB foi de 0,3%, um valor idêntico ao registado no trimestre anterior. A variação homóloga do PIB foi de 1,5%, o que compara com 1,8% registado no trimestre anterior.

Há ainda a destacar que de acordo com a estimativa divulgada pelo INE (Espanha) a economia espanhola, durante o 4º trimestre de 2018, registou um crescimento em cadeia do PIB de 0,7% (0,6% no trimestre anterior). Sendo que a variação homóloga do PIB foi de 2,4%, valor idêntico ao registado no 3º trimestre de 2018. A inflação em Espanha desce para os 1%. O Índice Harmonizado de Preços no Consumidor mostrou uma contração de 20 pontos base na inflação, para os 1% em janeiro, ficando um pouco aquém do esperado pelos analistas (1,1%)

Hoje foram também conhecidos os dados de emprego na Alemanha, a taxa de desemprego permaneceu no 5% esperado, mas o número de desempregados muda menos do que o esperado, quando se esperava que 14.000 desempregados tinham saído do desemprego, mas em vez disso, os dados publicados revelam que foram apenas 2000, por isso é pior do que o esperado. Além disso, as vendas no retalho caíram fortemente -4,3% quando se esperava uma queda de -0,5%.

Já em França, a descida de custos energéticos leva a queda expressiva da inflação . Pelo terceiro mês consecutivo houve um recuo, sendo que em janeiro terá sido de 50 pontos base para os 1,4%.
 

Ler mais
Recomendadas

Marcelo promulga com dúvidas salário mínimo de 635,07 euros na função pública

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, promulgou, embora expressando dúvidas sobre esta opção política, o decreto do Governo que atualiza de 580 para 635,07 euros o salário mínimo pago na função pública.

Portugal precisa de mais enfermeiros, realça a OCDE

Entre as recomendações que apresenta, a OCDE defende que a solução passa por apostar nos cuidados primários e para tal, “a disponibilidade de enfermeiros é essencial para assegurar cuidados primários e apoio domiciliários”.

Governo português “é quase uma exceção na Europa”, realça secretário-geral da OCDE

[O executivo de coligação português] provou ser um modelo muito eficaz, muito interessante”, frisou o secretário-geral da organização com sede em Paris, Angel Gurría.
Comentários