Já abriu o primeiro parque fotovoltaico em regime liberalizado em Portugal

A Energia Simples será responsável pela compra de toda a produção deste parque pelos próximos dois anos, assegurando a sua eficaz utilização. A empresa é pioneira na compra de energia em regime de mercado.

O parque fica situado em Courela dos Castelos de Água, freguesia União de Freguesias do Ameixial, concelho de Estremoz e é um marco importante na evolução do mercado nacional de electricidade. Constitui uma clara demonstração da rápida evolução das renováveis e da sua competitividade face aos modelos de produção tradicionais, que recorrem a combustíveis fósseis.

O projeto agora apresentado ocupa uma área de 22 hectares e tem uma capacidade de produção de 4,8 GWh/ano. No total, a energia renovável comprada pela Energia Simples é a suficiente para abastecer 30,000 casas, dispondo a empresa de um leque de produção energético de fontes renováveis bastante diversificado.

A empresa iniciou igualmente este ano a utilização de outras unidades de energias renováveis. Instalou mais de oito centrais solares de pequena dimensão distribuídos por todo o país. De acordo com Manuel Azevedo, Fundador da Energia Simples, “desde o início que procurámos juntos dos nossos clientes prestar o melhor serviço e apresentar uma proposta de valor competitiva. Neste momento, contamos com cerca de 20 mil clientes, entre empresas e particulares, e é com satisfação que nos aliamos ao primeiro produtor de energia solar no mercado liberalizado, em que acreditamos”.

Fundada em 2014, a Energia Simples, tem sede no Porto, sendo a marca da empresa PH Energia, Lda para a comercialização de energia eléctrica no mercado liberalizado. É  a maior empresa nacional em energia comercializada com capital 100% nacional.

Relacionadas

Sabe o que significa eficiência energética?

Esta é a principal questão do inquérito que o INESC TEC está a conduzir junto da população portuguesa, integrado no projecto europeu GReSBAS e que tem como parceiros a Istanbul Technical University e MAKEL da Turquia.
Recomendadas

Contribuições de cada país “não estão numa trajetória de limitar o aquecimento a um nível baixo”

Cerca de 260 especialistas estão reunidos em Faro para avançar na elaboração do sexto relatório ambiental que deverá ser publicado entre 2021 e 2022. Ao JE, Maria Lemos considera que apesar de “estarmos atrasados, não podemos parar de trabalhar”.

União Europeia e FMI reforçam parceria na sustentabilidade

“A União Europeia e o FMI são fortes parceiros. Queremos, em conjunto, encontrar soluções para os problemas globais, nomeadamente em África”, refere a Comissão Europeia.

Próximo relatório global sobre alterações climáticas começa a ser escrito em Faro

Os especialistas do Painel Intergovernamental sobre as Alterações Climáticas da ONU, estão reunidos em Faro, até sábado, para avançar na elaboração do sexto relatório ambiental que deverá ser publicado entre 2021 e 2022.
Comentários