João Proença: “A ADSE é financeiramente equilibrada”

Presidente do conselho geral de supervisão da ADSE reconheceu que esta visão “não quer dizer que não haja problemas”, frisando que a ADSE enfrenta alguns desafios: “É um instituto público a dar os primeiros passos”.

Mário Cruz/Lusa

O atual presidente do conselho geral de supervisão da ADSE, João Proença, garantiu esta segunda-feira que a ADSE “é financeiramente equilibrada”, negando os argumentos que colocam em causa a sustentabilidade do subsistema do Estado dentro de alguns anos.

O ex-secretário-geral da UGT falou sobre “O Futuro da ADSE”, no âmbito do ciclo de conferências “Fim de tarde na SEDES com quem sabe”, realizado nesta tarde de segunda-feira no auditório da Associação para o Desenvolvimento Económico (SEDES), em Lisboa.

“A ADSE é financeiramente equilibrada”, disse, sustentando que “o futuro vai bem e recomenda-se”.

João Proença reconheceu que esta visão “não quer dizer que não haja problemas”, frisando que enfrenta alguns desafios: “É um instituto público a dar os primeiros passos”. O responsável do CGS recordou que depois de 2014, o foi pedido um relatório para avaliar qual deveria ser o modelo da ADSE e que apontou para um modelo mutualista, mas Governo decidiu criar um instituto público.

“A ADSE é importante, no momento em que estão a decorrer grandes transformações na saúde”, disse, destacando o “carácter solidário” do subsistema, uma vez que “cerca de 1/3 dos beneficiários da ADSE não pagam”.

(Atualizado às 18h27)

Ler mais
Recomendadas

João Ferreira diz que intervenção de Presidente da República quanto aos trabalhadores tem sido “marcada pela indiferença”

Depois da sua reunião com a CGTP, João Ferreira apontou que a intervenção adequada tem de ter  “a valorização do trabalho e dos trabalhadores no cerne das preocupações e da intervenção do Presidente da República”.

Ex-ministro da Saúde defende que é preciso “agir depressa” em relação a testes rápidos

“Eu creio que, neste momento, é preciso nesse domínio ser ágil e agir depressa”, defendeu Adalberto Campos Fernandes, que foi ministro da Saúde entre 2015 e 2018.
Inês de Medeiros

Inês de Medeiros diz que declarações sobre bairro social foram descontextualizadas

A presidente da Câmara de Almada disse hoje que as suas afirmações sobre o Bairro Amarelo surgiram em resposta a uma pergunta feita pelo Bloco de Esquerda (BE), considerando que foram descontextualizadas devido ao “aproximar das eleições”.
Comentários