João Proença: “A ADSE é financeiramente equilibrada”

Presidente do conselho geral de supervisão da ADSE reconheceu que esta visão “não quer dizer que não haja problemas”, frisando que a ADSE enfrenta alguns desafios: “É um instituto público a dar os primeiros passos”.

Mário Cruz/Lusa

O atual presidente do conselho geral de supervisão da ADSE, João Proença, garantiu esta segunda-feira que a ADSE “é financeiramente equilibrada”, negando os argumentos que colocam em causa a sustentabilidade do subsistema do Estado dentro de alguns anos.

O ex-secretário-geral da UGT falou sobre “O Futuro da ADSE”, no âmbito do ciclo de conferências “Fim de tarde na SEDES com quem sabe”, realizado nesta tarde de segunda-feira no auditório da Associação para o Desenvolvimento Económico (SEDES), em Lisboa.

“A ADSE é financeiramente equilibrada”, disse, sustentando que “o futuro vai bem e recomenda-se”.

João Proença reconheceu que esta visão “não quer dizer que não haja problemas”, frisando que enfrenta alguns desafios: “É um instituto público a dar os primeiros passos”. O responsável do CGS recordou que depois de 2014, o foi pedido um relatório para avaliar qual deveria ser o modelo da ADSE e que apontou para um modelo mutualista, mas Governo decidiu criar um instituto público.

“A ADSE é importante, no momento em que estão a decorrer grandes transformações na saúde”, disse, destacando o “carácter solidário” do subsistema, uma vez que “cerca de 1/3 dos beneficiários da ADSE não pagam”.

(Atualizado às 18h27)

Ler mais
Recomendadas

Restrições na área de Lisboa poderão ser levantadas “muito brevemente”, diz António Costa

O primeiro-ministro revelou esta quarta-feira que as restrições impostas na Área Metropolitana de Lisboa devido à pandemia de covid-19 poderão ser levantadas “muito brevemente”, uma vez que os focos de contágio identificados são “situações muito contidas”.

“Lá dentro cultura, cá fora artistas tauromáquicos algemados. Que maravilha”. Campo Pequeno chega ao Parlamento

O CDS estranhou a realização de um espetáculo num espaço habitualmente destinado a touradas e o líder do PAN partilhou com António Costa aquilo que apelidou como uma visão do futuro. O Campo Pequeno, em Lisboa, foi tema em debate entre CDS e PAN.

António Costa defende ‘paraministro’: “Convite a quem está fora da bolha partidária melhora qualidade da sessão política”

Durante o debate quinzenal, António Costa foi questionado três vezes pelos partidos sobre o convite do Governo ao CEO da Partex. O líder do Governo diz que é o seu “estilo” convidar personalidades independentes para colaborar em questões políticas e acusou direita de “mesquinhez” por trazer tema a debate.
Comentários