João Proença: “A ADSE é financeiramente equilibrada”

Presidente do conselho geral de supervisão da ADSE reconheceu que esta visão “não quer dizer que não haja problemas”, frisando que a ADSE enfrenta alguns desafios: “É um instituto público a dar os primeiros passos”.

Mário Cruz/Lusa

O atual presidente do conselho geral de supervisão da ADSE, João Proença, garantiu esta segunda-feira que a ADSE “é financeiramente equilibrada”, negando os argumentos que colocam em causa a sustentabilidade do subsistema do Estado dentro de alguns anos.

O ex-secretário-geral da UGT falou sobre “O Futuro da ADSE”, no âmbito do ciclo de conferências “Fim de tarde na SEDES com quem sabe”, realizado nesta tarde de segunda-feira no auditório da Associação para o Desenvolvimento Económico (SEDES), em Lisboa.

“A ADSE é financeiramente equilibrada”, disse, sustentando que “o futuro vai bem e recomenda-se”.

João Proença reconheceu que esta visão “não quer dizer que não haja problemas”, frisando que enfrenta alguns desafios: “É um instituto público a dar os primeiros passos”. O responsável do CGS recordou que depois de 2014, o foi pedido um relatório para avaliar qual deveria ser o modelo da ADSE e que apontou para um modelo mutualista, mas Governo decidiu criar um instituto público.

“A ADSE é importante, no momento em que estão a decorrer grandes transformações na saúde”, disse, destacando o “carácter solidário” do subsistema, uma vez que “cerca de 1/3 dos beneficiários da ADSE não pagam”.

(Atualizado às 18h27)

Ler mais
Recomendadas

Contas do PSD congeladas por causa de dívida de mais de seis mil euros a serralheiro

Em causa está um episódio que remonta às eleições autárquicas de 2017, quando o PSD requereu serviços a um serralheiro para montar estruturas para cartazes em São Pedro do Sul, distrito de Viseu. O partido não pagou a totalidade da conta porque queria que fossem os responsáveis locaais a assumirem os custos.

PremiumPS mantém avanço sobre PSD, Chega sobe a quinto partido e CDS em queda

Bloco de Esquerda desce para 7,7% em fevereiro, mas permanece a terceira força, enquanto oCDS-PP tomba para 2,1% e já só está à frente do Livre.
António Costa Assina OE2020

PremiumGoverno sem plano para coronavírus na função pública

Sindicatos da Administração Pública alertam para inexistência de instruções para lidar com Covid-19. Reclamam segurança de funcionários e utentes.
Comentários