Juros da dívida portuguesa caem a dois, a cinco e a 10 anos

No prazo de cinco anos, os juros também recuavam, para -0,186%, contra -0,185% na quarta-feira. Os juros a dois anos baixavam para -0,461%, contra -0,459% na quarta-feira e o atual mínimo de sempre, de -0,684%, em 04 de setembro de 2019.

Os juros da dívida portuguesa estavam esta quinta-feira a cair a dois, a cinco e a 10 anos em relação a ontem, alinhados com os Espanha, Grécia, Irlanda e Itália.

Cerca das 08:40 em Lisboa, os juros a 10 anos desciam para 0,320%, contra 0,322% na quarta-feira e depois de terem subido até 1,441% em 18 de março, um máximo desde março de 2019, e descido até ao atual mínimo de sempre, de 0,065%, em 15 de agosto de 2019.

No prazo de cinco anos, os juros também recuavam, para -0,186%, contra -0,185% na quarta-feira, 0,916% em 18 de março, um máximo desde junho de 2018, e o mínimo de sempre, de -0,374%, em 26 de agosto de 2019.

Os juros a dois anos baixavam para -0,461%, contra -0,459% na quarta-feira e o atual mínimo de sempre, de -0,684%, em 04 de setembro de 2019.

Recomendadas

EUA: adiamento da votação do Congresso dá esperança à aprovação de novo pacote de estímulos

Depois de meses de impasse, a Câmara dos Representantes, de maioria democrata, decidiu não votar um pacote que estava condenado ao fracasso quando subisse ao Senado, de maioria republicana. O adiamento é visto como um sinal de avanços nas negociações entre Nancy Pelosi e Steve Mnuchin, ou seja, entre os democratas do Congresso e a Casa Branca.

Portugal está a meio da tabela do custo mensal de ter carro. Elétricos nunca foram tão baratos na Europa

O ‘ranking’ anual LeasePlan coloca Portugal em 10º lugar na despesa mensal de propriedade de um veículo, com um valor de 651 euros para carros a gasolina, 672 euros gasóleo e 686 euros elétricos nos segmentos utilitário e pequeno utilitário.

3.800 euros: Genebra vai pagar o salário mínimo mais elevado do mundo

Os 500 mil eleitores da cidade suíça aprovaram o salário mínimo proposto pelos sindicatos locais e partidos de esquerda, depois de já terem sido rejeitados duas vezes em 2011 e 2014. Medida entra em vigor a partir de 17 de outubro.
Comentários