Lembra-se da Molin? Concorrente quer dar-lhe nova vida

Poderá ser pela mão de uma das suas concorrentes, a Maber, que a Molin regressará ao mercado nacional. O dono desta empresa quer adquirir os registo de utilização da marca, mas enfrenta a contestação da Iberpartners.

Considerada insolvente em setembro de 2001 por um tribunal de Vila Nova de Gaia, a Molin pode estar perto de regressar ao mercado. E pela mão de uma antiga concorrente, a Maber. Victor Pais, dono da Maber, deu entrada de três pedidos de caducidade da marca Molin no Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) no passado dia 1 de junho, com o objetivo de conseguir os registos de utilização da mítica marca nacional de material de desenho.

No caminho de Victor Pais está apenas a Iberpartners, uma sociedade anónima que se dedica à gestão e restruturação de empresas e que detém a utilização da marca Molin. Isto porque o dono da Maber tem vindo ao longo dos anos a adquirir máquinas e moldes da antiga Molin, o que lhe permite afirmar ser proprietário de toda a linha de produção da Molin.

“Eu já tinha na Maber alguns moldes e máquinas para fazer alguns produtos, como os esquadros ou as réguas. Mas os moldes da Molin são diferentes. Acho que qualquer cliente consegue distinguir um produto da Molin dos da concorrência. Eu já tenho as máquinas e os moldes para os fazer. Mas ainda me falta conseguir que esses produtos tenham a grafia e a marca de quem os fundou, para fazer justiça ao seu nome”, disse ao Público Victor Pais.

Nos pedidos de caducidade entregues no INPI, a que o Público diz ter tido acesso, Victor Pais invoca o facto de o atual titular nunca ter usado a marca em questão: “Agora nem que queira produzir algum desses produtos, não poderá faze-lo, porque quem comprou as máquinas e os moldes fui eu”, acrescenta o empresário ao jornal.

O Público acrescenta ter conseguido a confirmação da contestação da Iberpartners ao pedido de caducidade entregue por Victor Pais, citando João Garcia, mandatário da Iberpartners. “A última vez que a Iberpartners fez o registo da marca foi em 2016. E se assim foi é porque, naturalmente, tem planos para ela”, limitou-se a comentar.

Enquanto o INPI não decide, Victor Pais mostra-se convicto no regresso dos produtos Molin ao mercado, “nem que seja sob a marca Maber”, disse, concluindo: “Confio que os consumidores saberão reconhecer o produto.”

Ler mais

Recomendadas

“Mobilidade elétrica tem um argumento de força: a urgência da descarbonização”, defendem especialistas na “Portugal Smart Cities Summit 2020”

Uma das provas da relevância da mobilidade elétrica está refletida nos números das vendas de automóveis elétricos: “2,3 milhões de vendas até ao final deste ano” deste tipo de veículo, segundo Ryan Fisher da BloombergNEF.

“Eletrificação nos transportes é determinante”, garante secretário de Estado da Mobilidade

Eduardo Pinheiro sublinhou os apoios que têm sido fornecidos para a aquisição de automóveis elétricos, bem como o reforço de 50 milhões de euros na frota da Soflusa. Posição foi conhecida no segundo dia da “Portugal Smart Cities Summit 2020”, evento que conta com o “Jornal Económico” como media partner.

Verbas do SURE ficam disponíveis a partir de outubro, diz Costa

O primeiro-ministro adiantou que as verbas do instrumento da Comissão Europeia para apoiar empregos ficará disponível “a partir do próximo mês”. Programa garante 5,9 mil milhões de euros de Bruxelas de financiamento para Portugal, o montante proposto pelo ministério das Finanças.
Comentários