Lembra-se da Molin? Concorrente quer dar-lhe nova vida

Poderá ser pela mão de uma das suas concorrentes, a Maber, que a Molin regressará ao mercado nacional. O dono desta empresa quer adquirir os registo de utilização da marca, mas enfrenta a contestação da Iberpartners.

Considerada insolvente em setembro de 2001 por um tribunal de Vila Nova de Gaia, a Molin pode estar perto de regressar ao mercado. E pela mão de uma antiga concorrente, a Maber. Victor Pais, dono da Maber, deu entrada de três pedidos de caducidade da marca Molin no Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) no passado dia 1 de junho, com o objetivo de conseguir os registos de utilização da mítica marca nacional de material de desenho.

No caminho de Victor Pais está apenas a Iberpartners, uma sociedade anónima que se dedica à gestão e restruturação de empresas e que detém a utilização da marca Molin. Isto porque o dono da Maber tem vindo ao longo dos anos a adquirir máquinas e moldes da antiga Molin, o que lhe permite afirmar ser proprietário de toda a linha de produção da Molin.

“Eu já tinha na Maber alguns moldes e máquinas para fazer alguns produtos, como os esquadros ou as réguas. Mas os moldes da Molin são diferentes. Acho que qualquer cliente consegue distinguir um produto da Molin dos da concorrência. Eu já tenho as máquinas e os moldes para os fazer. Mas ainda me falta conseguir que esses produtos tenham a grafia e a marca de quem os fundou, para fazer justiça ao seu nome”, disse ao Público Victor Pais.

Nos pedidos de caducidade entregues no INPI, a que o Público diz ter tido acesso, Victor Pais invoca o facto de o atual titular nunca ter usado a marca em questão: “Agora nem que queira produzir algum desses produtos, não poderá faze-lo, porque quem comprou as máquinas e os moldes fui eu”, acrescenta o empresário ao jornal.

O Público acrescenta ter conseguido a confirmação da contestação da Iberpartners ao pedido de caducidade entregue por Victor Pais, citando João Garcia, mandatário da Iberpartners. “A última vez que a Iberpartners fez o registo da marca foi em 2016. E se assim foi é porque, naturalmente, tem planos para ela”, limitou-se a comentar.

Enquanto o INPI não decide, Victor Pais mostra-se convicto no regresso dos produtos Molin ao mercado, “nem que seja sob a marca Maber”, disse, concluindo: “Confio que os consumidores saberão reconhecer o produto.”

Ler mais

Recomendadas

EDP desiste do processo contra o Estado na CESE. Custos superam probabilidade de sucesso

A energética anunciou ainda que vai pedir a Bruxelas a análise da conformidade relativamente ao futuro do mecanismo de financiamento da Tarifa Social. “A EDP não questiona a existência da Tarifa Social em si mesma, com cujo propósito concorda, mas não pode, atendendo à evolução do respectivo regime, conformar-se com os termos de financiamento”.

‘Fintech’ crescem em Portugal apesar da pandemia, revela relatório

De acordo com o “Portugal Fintech Report 2020”, apresentado esta manhã pela Associação Portugal Fintech, “a maior parte das ‘fintechs’ em Portugal situa-se nos verticais de ‘pagamentos e transferências’, ‘insurtech’ e ‘criptomoeda’, estando 43% na fase de ‘seed’” (fase inicial de desenvolvimento).

Portugal Blue quer distribuir 75 milhões de euros em investimentos na economia azul

A Portugal Blue quer mobilizar mais de 75 milhões de euros de capital privado, público e europeu para fomentar o ecossistema da economia azul portuguesa, disponibilizando capital de risco e expansão a mais de 30 empresas, em todos os estágios de desenvolvimento. O programa de investimento cobrirá até 70% da dimensão dos fundos selecionados, com o intuito de potenciar a capacidade crítica da plataforma local da economia azul.
Comentários