LinkedIn: nova ferramenta vai terminar com gafes na pronuncia de nomes

A decisão será tomada este mês e visa influenciar a vida dos 690 milhões de utilizadores do LinkedIn, mas esta ferramenta não poderia ser usada por utilizadores com dificiência auditiva. A empresa garante estar a trabalhar para criar “recursos de acessibilidade”

Cristina Bernardo

O LinkedIn pretende adicionar uma nova ferramenta à plataforma que permite aos utilizadores ouvir como outros membros da rede social pronunciam os seus próprios nomes, segundo o The Wall Street Journal. A decisão será tomada este mês e visa influenciar a vida dos 690 milhões de utilizadores do LinkedIn.

“Todos, eu incluindo, cometemos erros ao pronunciar o nome de outras pessoas”, Joseph Akoni responsável pela gestão de produtos do LinkedIn. “Apercebi-me disto pelo meu nome do meio nigeriano – há 99% de hipóteses de alguém não pronunciar corretamente na primeira tentativa”, assegurou.

A atualização da interface do LinkedIn vai permitir que os utilizadores gravem até 10 segundos. Do outro lado, quem for ouvir, precisará de pressionar uma pequeno botão no perfil da pessoa a quem pretende ouvir o áudio.

“Se não tem um nome incomum, nunca saberá realmente o esforço diário envolvido de ter um”, sublinhou Emma Nabridnyj, diretora editorial freelancer, em Londres.

Apesar da utilidade, a nova ferramenta não poderá ser usada por utilizadores surdos ou com deficiência auditiva. O LinkedIn garantiu que está a trabalhar no sentido de “criar recursos de acessibilidade”.

Relacionadas

Facebook em linha para cumprir objetivos de sustentabilidade ambiental ainda em 2020

O Facebook foi o principal comprador de energia renovável nos Estados Unidos pela ‘Renewable Energy Buyers Alliance’ e o segundo maior comprador do mundo pela ‘Bloomberg NEF’.

Deco lança Observatório de Publicidade

Ao longo do 1º semestre de 2020, a DECO efectuou 20 denúncias de publicidade enganosa sobre quase todos os setores do consumo, desde telecomunicações ao crédito fácil, passando pela energia, turismo e compra e venda. A DECO defende mudanças neste setor. É urgente agir e pugnar por conteúdos publicitários mais transparentes e verdadeiros.

Estados Unidos ponderam bloquear acesso ao TikTok

“Estamos certamente a analisar [essa hipótese]”, admitiu o secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, em entrevista à “Fox News”.
Recomendadas

PremiumConservas querem substituir 200 milhões de importações

Campanha em curso de promoção do consumo de conservas deverá aumentar vendas em cerca de 5%, revela José Maria Freitas, presidente da ANICP – Associação Nacional dos Industriais de Conservas de Peixe, em entrevista ao Jornal Económico.

Lucro da petrolífera Saudi Aramco cai 50% no primeiro semestre para 19,7 mil milhões de euros

A petrolífera Saudi Aramco alcançou 23,2 mil milhões de dólares (cerca de 19,7 mil milhões de euros) de lucro no primeiro semestre deste ano, menos 50% do que em igual período do 2019, penalizado pela pandemia de covid-19.

Apenas 2,7% das coimas da Autoridade da Concorrência foram pagas desde 2004

Uma das razões para os atrasos são os múltiplos recursos na Justiça, que contribuem para que só uma pequena parte das coimas seja paga.
Comentários