Lisboa é a cidade europeia mais procurada pelos turistas

As vendas de voos na União Europeia caíram 94% em maio. O mercado registou uma ligeira melhoria na primeira quinzena de junho, com o destino a liderar as vendas de voos.

Lisboa | Twitter

Lisboa é a cidade europeia que regista a maior procura por turistas, com mais reservas de voos. Segue-se Paris, Amesterdão, Atenas, Roma, Madrid, Frankfurt, Viena, Barcelona e Londres.

Os dados constam de um relatório do World Travel and Tourism Council (WTCC) e da consultora ForwardKeys, e referem-se aos bilhetes vendidos entre 1 e 14 de junho face a período homólogo. Apenas foram considerados os bilhetes que previam que os viajantes pernoitassem entre uma a 21 noites nos destinos.

O cenário era diferente há um ano, com Londres a liderar o ranking, e Lisboa a surgir na nona posição.

Segundo o estudo, a venda de bilhetes para voos na União Europeia caiu 84% na primeira metade de um junho, registando uma ligeira melhoria, depois da queda de 94% registada durante o mês de maio.

O relatório aponta que as vendas de voos para o Reino Unido caíram 96% na primeira metade de junho, depois de afundarem 97% em maio.

A WTCC é uma organização sediada em Londres que representa o setor privado global de viagens e turismo.

O relatório elogia o esforço feito por Portugal nas medidas tomadas para o setor do turismo. “Portugal foi um dos primeiros países a estabelecer regras de higiene e protocolos de segurança para receber turistas e tem uma das principais taxas de testagem para controlar a transmissão” do vírus”, segundo o comunicado.

“O sucesso de Portugal em atrair visitantes segue-se às medidas de segurança e sanitárias implementadas pelo Governo. Estas são, em linha com o nosso protocolo global, desenhadas para a retoma deste setor importante e assegurar a segurança nas viagens”, segundo a presidente da WTCC, Gloria Guevara, apontando que o destino já mereceu o selo da WTCC que premeia os destinos mais seguros.

A WTCC também espera que o Governo britânico anuncie brevemente o levantamento de restrições de viagens para diversos países, incluindo Portugal. A organização aponta que as regras de quarentena impostas pelo Governo britânico levaram Londres a afundar no ranking.

“Esperamos impacientemente o anúncio do Governo britânico de que vai finalmente permitir aos viajantes para fazer planos para o verão e visitar destinos em toda a Europa e permitir ao setor do turismo e viagem do Reino Unido dar o pontapé de saíde para a sua recuperação”, assinalou a líder da WTCC.

“Sob pressão do setor de viagens, o Governo britânico parece que vai finalmente anunciar corredores de viagens para destinos populares europeus como França, Alemanha, Grécia, Turquia e Itália. Isto iria permitir às companhias aéreas abrirem voos para os britânicos que queiram ir para o estrangeiro durante o verão”, pode-se ler no comunicado.

Na imprensa britânica tem saído notícias contraditórias sobre o assunto, e o Governo já anunciou que vai anunciar a lista de países no final desta semana.

Na semana passada, o Telegraph avançou que Portugal iria ficar de fora dos países para os quais os britânicos podem viajar sem restrições, mas o grupo de pressão Quash Quarantine  já veio a público dizer que Portugal vai ser incluído na lista.

“Apesar de Portugal ter tido um ponto de interrogação devido aos recentes casos, vai constar da lista”, disse a 25 de junho ao The Sun Paul Charles, responsável deste grupo que inclui 500 empresas do setor do turismo no Reino Unido e que está a pressionar o Governo de Boris Johnson a levantar restrições nas viagens aéreas para o estrangeiro.

O Governo português veio ontem a público dizer que “não faz sentido” Portugal ser discriminado face a outros países.

“Não tem sentido ser discriminado relativamente a outros destinos dentro da Europa que tem níveis da incidência que já são maiores. É um argumento que continuamos a fazer e que esperamos que seja importante”, disse na segunda-feira o ministro da Economia.

“Felizmente estamos a ter  relativamente a outros países e outros mercados importantes, como o mercado alemão, um outro tipo de abordagem e de aproximação a este problema”, afirmou Pedro Siza Vieira.

Ministro da Economia diz que”não faz sentido” Portugal ser discriminado pelo Reino Unido nas viagens

Recomendadas

Relatório final da Comissão de Inquérito ao Novo Banco aprovado com votos contra do PS e abstenção do CDS

O relatório final da Comissão Eventual de Inquérito Parlamentar às perdas registadas pelo Novo Banco imputadas ao Fundo de Resolução foi aprovado com os votos contra do PS e com a abstenção do CDS.

Relatório final da CPI ao Novo Banco com votos contra do PS e sem relator que renunciou

O PS vota contra o relatório final da CPI ao Novo Banco devido às conclusões sobre a venda de 2017 que foram introduzidas na votação da especialidade. Mais de 100 propostas de alteração foram aprovadas. Fernando Anastácio renunciou às condições de relator.

Perdas do Novo Banco imputadas ao Fundo de Resolução. Veja a discussão e votação do relatório final da CPI

A Comissão Eventual de Inquérito Parlamentar às perdas registadas pelo Novo Banco e imputadas ao Fundo de Resolução procede hoje à discussão e votação do relatório final. Veja em direto.
Comentários