Lisboa garante que tem verbas para baixar preço dos passes

A justificação surge depois de o “Jornal de Negócios” noticiar que os quase 75 milhões de euros alocados para essa redução tarifária não são suficientes.

A Área Metropolitana de Lisboa (AML) garantiu esta segunda-feira que tem as verbas que são precisas para baixar o preço dos passes dos transportes na capital portuguesa e que o Governo aprovou, no Orçamento do Estado (OE), “exatamente o valor necessário” para avançar com essa redução tarifária.

“A AML dispõe de todas as verbas necessárias para executar a redução do valor dos passes de transporte” e “está a trabalhar com as entidades envolvidas tendo em vista a entrada dos novos tarifários no início de abril”, refere a área metropolitana mais populosa de Portugal, em comunicado divulgado esta manhã.

A justificação surge depois de o “Jornal de Negócios” noticiar que o montante alocado para a redução do preço nos passes – para 30 euros (nos passes de viagens no interior do concelho) e para 40 euros (nos passes para viagens entre municípios da AML), bem como a isenção total até aos 12 anos e criação do ‘Passe Família’ – não são suficientes.

Ao que o diário de economia apurou, com base nas contas dos municípios e na manutenção da procura e custos, os 74,8 milhões de euros do Programa de Apoio à Redução do Tarifário dos Transportes Públicos (PART) para a AML não cobrem o défice que será criado com a medida. A redução do preço dos passes terá um impacto que pode chegar aos 90 milhões de euros, segundo a mesma publicação.

O PART só vai entrar em vigor no início de abril, mas o Governo divulgou em Diário da República a distribuição das dotações a que cada área metropolitana e comunidade intermunicipal: as de Lisboa e do Porto são as que vão receber a maior fatia orçamental. Lisboa vai receber pouco mais de 73 milhões de euros, enquanto para o Porto estão reservados 15 milhões de euros.

O valor destinado às áreas metropolitanas é avaliado segundo os fatores que foram mencionados acima. Lisboa tem cerca de 464.531 utilizadores, que passam uma média de 42,4 minutos nas deslocações. Sendo o maior número de deslocações no país, implica que receba uma maior fatia do OE: 73.012.818 euros, e os municípios desta área metropolitana vão ter de pagar 1.825.320 euros.

Governo aprova 104 milhões de euros para reduzir passes dos transportes públicos

Ler mais
Relacionadas

São 73 milhões para Lisboa, Porto com 15 milhões: como vai ser dividido o apoio para redução dos passes

Valor total investido vai ser de 104 milhões de euros e as áreas metropolitanas de Lisboa e do Porto são as que vão receber a maior fatia do Orçamento de Estado.

Governo aprova 104 milhões de euros para reduzir passes dos transportes públicos

Medida foi publicada esta terça-feira em Diário da República. Programa de Apoio à Redução do Tarifário dos Transportes Públicos (PART), tem por objetivo combater as externalidades negativas associadas à mobilidade, nomeadamente o congestionamento, a emissão de gases de efeito de estufa, a poluição atmosférica, o ruído, o consumo de energia e a exclusão social.
Recomendadas

Duarte Lima já deu entrada na prisão para cumprir sentença

Duarte Lima está acusado no Brasil pelo homicídio a 07 de dezembro de 2009 de Rosalina Ribeiro, companheira do milionário português já falecido Lúcio Tomé Feteira.

Centeno diz que 72% dos precários tiveram ‘luz verde’ para ingressar no Estado

O ministro das Finanças, Mário Centeno, disse esta sexta-feira no parlamento que 72% dos trabalhadores que recorreram ao programa de regularização extraordinária dos vínculos precários do Estado (PREVPAP) tiveram parecer favorável, recusando que haja atrasos no processo.

Prepare a carteira. Vem aí (mais) um aumento nos combustíveis

A partir de segunda-feira, os combustíveis ficam novamente mais caros. Aumento é maior na gasolina, tanto nas cadeias de marca branca, como nas principais gasolineiras.
Comentários