Mais de 80% dos britânicos não seguem regras de auto-confinamento

De acordo com o estudo, a maioria dos britânicos consultados foram incapazes de identificar os principais sintomas causados pela doença respiratória causada pelo novo coronavírus.

Reuters

Mais de 80% dos britânicos não estão a seguir as diretrizes de auto-isolamento quando mostram sintomas de estar infetados por Covid-19 ou estiveram em contacto com quem que estou positivo, revela um estudo citado pela “Reuters”, esta sexta-feira, 25 de setembro.

De acordo com o mesmo estudo, a maioria dos britânicos consultados foram incapazes de identificar os principais sintomas causados pela doença respiratória causada pelo novo coronavírus.

A “Reuters” indica que o estudo levanta questões importantes para a eficácia do programa de teste e rastreamento de Inglaterra, uma vez que o primeiro-ministro Boris Johnson tenta conter o aumento do número de infeções com restrições novas quase todas as semanas. A investigação aponta que apenas 18,2% dos que reportaram sentir sintomas de Covid-19 nos últimos sete dias permaneceram em auto-confinamento nas suas habitações, enquanto apenas 11,9% pediram a realização de um teste.

O estudo avança ainda que apenas 10,9% das pessoas foram aconselhadas pelo Serviço Nacional de Saúde britânic (NHS, sigla inglesa) a seguir o auto-isolamento, após terem estado em contacto com alguém infetado.

Na semana passada, o governo de Boris Johnson introduziu multas que vão até às 10 mil libras (10.919 euros) para quem quebre as diretrizes de auto-isolamento, além de pagarem 500 libras (546 euros) em apoio a trabalhadores de baixos rendimentos que foram obrigados a fazer quarentena.

“Os nossos resultados sugerem que as responsabilidades e restrições financeiras impediram a adesão ao auto-isolamento”, sustentam os responsáveis do estudo.

Ao dia de ontem, o Reino Unido somava o maior número de mortes por Covid-19 em território europeu, com 41.902 óbitos, e 416.363 casos de infeção.

Ler mais
Recomendadas

Japão promete neutralidade de carbono até 2050

O primeiro-ministro nipónico não apresentou um calendário específico para alcançar este equilíbrio entre as emissões de gases com efeito de estufa e a sua absorção, mas mencionou a importância da tecnologia.

Estado australiano foco da pandemia levanta confinamento a partir de terça-feira

O confinamento foi decretado em julho, quando o número de novos casos era de cerca de 190 por dia, número que subiu para 700 em agosto.

Alemanha regista 8.685 novas infeções nas últimas 24 horas

O número de novas infeções registadas hoje é o dobro dos 4.325 novos casos contabilizados na segunda-feira da semana passada.
Comentários