Marcelo: “A questão da produção das vacinas tem sido uma Via Sacra” (com áudio)

O Presidente da República lamenta que “de quinze em quinze dias” existam problemas com o plano de vacinação e pede à União Europeia uma “posição clara e duradoura” quanto às vacinas, numa altura em que persistem dúvidas quanto ao fármaco da AstraZeneca.

Hugo Delgado/Lusa

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, sublinhou esta quarta-feira as dificuldades associadas à vacinação em Portugal e considerou que esta questão tem sido marcado por “um conjunto de problemas”.

À margem da sua visita a uma unidade de saúde familiar (USF) em Lisboa, quando questionado sobre o plano de vacinação e as dúvidas em relação à vacina da AstraZeneca, Marcelo considerou que “a questão da produção das vacinas tem sido uma Via Sacra, que é uma expressão pascal que quer dizer um conjunto de problemas que se tem acumulado no tempo”.

“Já falei nisso inclusive a propósito da renovação do estado de emergência, de quinze em quinze dias, descobre-se mais um problema ou é no fundo de cimento ou é em questões de análise ou reanálise do processo produtivo”, avaliou o Chefe de Estado, apontando que “têm surgido as questões mais variadas questões”.

Para Marcelo, está é uma “situação incomoda como um todo”. “É uma agência europeia do medicamento que diz de sua justiça acerca da validade, a eficácia das vacinas e depois surgem dúvidas periodicamente aqui e acolá e os estados reagem de forma diferente perante as dúvidas”, explicou.

Assim, o Presidente da República pede que exista uma “posição clara e duradoura” estre os Estados-membros da União Europeia quanto às vacinas e que exista uma decisão rápida por parte da agência europeia do medicamento. A vacinação é uma “condição fundamental num bom processo de desconfinamento”, a par com a testagem, disse Marcelo.

Quanto á atuação portuguesa nesta matéria, o Presidente da República revelou que o primeiro-ministro contou-lhe que “tem tido contactos com os responsáveis das varias empresas”. “Isso é fundamental”, admitiu.

Ler mais
Relacionadas

Marta Temido convoca reunião de urgência com ministros europeus para debater vacina AstraZeneca

A presidência portuguesa do conselho da UE agendou uma reunião de urgência dos ministros da Saúde, por videoconferência, para debater as conclusões dos peritos sobre os eventuais riscos associados à vacina AstraZeneca contra a covid-19.

EMA pronuncia-se hoje sobre relação da vacina AstraZeneca com formação de coágulos

A Agência Europeia de Medicamento (EMA) vai pronunciar-se hoje sobre a possível relação entre a vacina contra a covid-19 da AstraZeneca e a formação de coágulos sanguíneos, anunciou a organização.

Austrália vai pedir à UE e AstraZeneca 3,1 milhões de vacinas em falta

Morrison disse anteriormente que a Austrália ainda não tinha recebido 3,1 milhões de doses da vacina AstraZeneca esperadas, o que levou à administração de menos de 25% da meta de quatro milhões estabelecida para final de março, posteriormente revista para fim deste mês.
Recomendadas

Diminuição de receitas no futebol português reduziu contribuição para o PIB na época passada para 494 milhões (com áudio)

Em comparação com a temporada de 2018/19, e de acordo com o anuário da Liga, a época passada trouxe uma quebra de 55 milhões de euros na contribuição do PIB, com a seguinte distribuição pelas três Ligas consideradas: Liga NOS (480 milhões); Liga Pro (9 milhões) e Liga Portugal (5 milhões).

BCE mantém política monetária inalterada (com áudio)

As taxas de juro mantiveram-se inalteradas, bem como a dotação do pandemic emergency purchase programme (PEPP).

Moody’s prevê recuo do défice acumulado da dívida tarifária de eletricidade em 2021 (com áudio)

A Moody’s Investors Service afirmou esta quinta-feira que o défice acumulado da dívida tarifária de eletricidade de Portugal em percentagem do Produto Interno Bruto (PIB) deverá cair para 1,4% em 2021, contra 1,5% em 2020.
Comentários