Mercadão vai recrutar mais 200 pessoas para responder ao crescimento das entregas

O marketplace, que entre outras assegura o serviço do Pingo Doce, conta atualmente com cerca de 700 ‘shoppers’, dos quais mais de metade recrutados durante o primeiro confinamento.

O ‘marketplace’ de entregas rápidas, Mercadão anunciou, esta quarta-feira, que vai recrutar mais 200 pessoas para reforçar a operação. Os operadores destinam-se a integrar o serviço de entregas nas zonas da grande Lisboa, incluindo Sintra e a margem sul do Tejo, o grande Porto, Coimbra, Évora, Algarve e também o Funchal.

A marca, que está presente em cerca de 100 cidades e tem oito lojas disponíveis, entre as quais o Pingo Doce, Decathlon e Odisseias, conta atualmente com cerca de 700 ‘shoppers’, dos quais 450 foram recrutados e formados durante o primeiro confinamento, devido ao aumento da procura.

“O nosso serviço mantém um forte ritmo de crescimento, por isso consideramos que este é o momento ideal para aumentar a equipa Mercadão. Queremos integrar novos ‘shoppers’, reforçar a disponibilidade do nosso serviço e continuar a acrescentar novos retalhistas de referência ao ‘marketplace'”, afirma o CEO, Gonçalo Soares da Costa, em comunicado enviado às redações.

Nascido em 2018, para fazer entregas em duas horas do Pingo Doce e outros retalhistas, o Mercadão é um serviço de e-commerce, assente em ‘personal shoppers’, que ficam encarregues das encomendas do princípio ao fim, assegurando “a escolha dos melhores produtos em loja e a qualidade das entregas”.

A marca distingue-se pelas compras personalizadas e rapidez nas entregas: apenas duas horas após fazer o pedido, o cliente recebe-o na porta de casa.

Recomendadas

Ex-autarca do Porto diz que volumetria do projeto do El Corte Inglés é “absurda”

No mês passado, o Bloco de Esquerda denunciou que a Câmara do Porto “abdicou de 31 mil m2 para espaços verdes no projeto do Corte Inglês na Boavista, por considerar não serem necessários devido à proximidade da Rotunda da Boavista”. Para Nuno Cardoso, “tem uma densidade absolutamente desmesurada”.

Lidl investiu 180 milhões em Portugal e abriu 261ª loja no ano passado

A abertura de loja de Rio Tinto e as restantes quatro reaberturas advêm de um investimento de 180 milhões de euros que o Lidl fez no país, no ano fiscal de 2020.

Grupo Jerónimo Martins investe em Marrocos para aumentar aquacultura de alto mar

O grupo de Pedro Soares dos Santos comprou 66,68% da Mediterranean Aquafarm em Marrocos, para produzir neste país, em alto mar, robalo, dourada e corvina em novas unidades que têm a vantagem de estarem perto de Portugal, o que facilita a rapidez de abastecimento do mercado nacional, garantindo pescado fresco.
Comentários