Ministro das Finanças de Cabo Verde apela à livre circulação de pessoas na CPLP

Vice primeiro-ministro e ministro das finanças de Cabo Verde, Olavo Correia, defendeu a necessidade de reforçar a cooperação no plano cientifico, empresarial e económico na CPLP.

O vice primeiro-ministro e ministro das finanças de Cabo Verde, Olavo Correia, disse este sábado que a livre circulação de pessoas, bens e serviços é fundamental para que a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) deixe de ser apenas “uma narrativa”.

“Enquanto não houver livre circulação de bens, pessoas, capitais e criações de oportunidades no espaço da lusofonia continuaremos a falar numa espécie de utopia”, disse Olavo Correia num painel dedicado ao tema do papel dos países da língua oficial portuguesa na economia global – novos desafios, novas oportunidades, no 1º Fórum de Economistas das Cidades de Língua Portuguesa, em Lisboa.

O ministro das Finanças de Cabo Verde defendeu que “mais do que continuar com a narrativa, é fazer aquilo que precisa de ser feito”. Neste sentido, defendeu que “enquanto continuarmos com muros a limitar que possamos abrir um espaço de oportunidades, teremos dificuldades enormíssimas sobre o que pode representar a CPLP para o futuro”.

Olavo Correia sublinhou a necessidade dos países da CPLP reforçarem a cooperação no plano cientifico, empresarial, conectividade. “Temos oportunidades nos nossos países mas temos que criar contexto para que possam ser aproveitadas”, disse.

“Como é que é possível não termos ainda acordos para evitar a dupla tributação nos nossos países?”, questionou, sublinhando que  “essas decisões estão nas nossas mãos”.

“Se até agora ainda não foi conseguido é por nossa incompetência, porque somos nós políticos que temos a responsabilidade de mudar”, acrescentou.

Defendeu ainda que a língua portuguesa é um 2ativo com utilidade para as nossas populações” e “pode amplificar a nossa influência no contexto internacional”.

Ler mais
Recomendadas

Empresários russos interessados em investir nas pescas em Cabo Verde

“Ficaram de fazer uma visita a Cabo Verde antes do final do ano para recolherem dados mais precisos e assim poderem preparar o seu projecto definitivo”, disse o ministro do Turismo e da Economia Marítima cabo-verdiano.

Presidente promulga com “dúvidas” venda de banco da Caixa em Cabo Verde

A CGD está a vender o Banco Comercial do Atlântico, um dos dois detidos pelo grupo bancário público em Cabo Verde, mantendo a sua participação no banco Interatlântico.

Ilha do Fogo vai acolher 10ª reunião do Conselho de Ministros do Turismo da CPLP

“Cabo Verde tem feito o gesto de abrir cada vez mais a nossa fronteira com a isenção de vistos, mas ainda estamos longe de ter este nível de correspondência dos demais países”, diz o ministro do Turismo cabo-verdiano.
Comentários