Moneris junta-se à EY para avaliar Efacec

A consultora liderada por Rui Almeida vai, juntamente com a EY, decidir qual será o montante da indeminização que o Estado terá de pagar pela nacionalização.

A Moneris e a segunda entidade escolhida para avaliar a Efacec, juntamente com a consultora EY, apurou o jornal Eco. Será com base na avaliação destas duas entidades que será definido o valor de uma eventual indemnização a pagar pelo Estado por causa da nacionalização parcial da empresa decidia em julho.

A Moneris é uma empresa de consultoria liderada pelo gestor Rui Almeida. Além da Moreris e da YE, foram ainda contratados para o processo de reprivatização a Haitong Bank e a firma de advogados SRS.

Quando a nacionalização foi decidida – sobre as ações que estavam nas mãos da empresária angolana Isabel dos Santos – o ministro da Economia, Siza Vieira, referiu que o Estado deveria pagar uma indemnização, mas ainda sem saber a quem.

Recomendadas

EDP desiste do processo contra o Estado na CESE. Custos superam probabilidade de sucesso

A energética anunciou ainda que vai pedir a Bruxelas a análise da conformidade relativamente ao futuro do mecanismo de financiamento da Tarifa Social. “A EDP não questiona a existência da Tarifa Social em si mesma, com cujo propósito concorda, mas não pode, atendendo à evolução do respectivo regime, conformar-se com os termos de financiamento”.

‘Fintech’ crescem em Portugal apesar da pandemia, revela relatório

De acordo com o “Portugal Fintech Report 2020”, apresentado esta manhã pela Associação Portugal Fintech, “a maior parte das ‘fintechs’ em Portugal situa-se nos verticais de ‘pagamentos e transferências’, ‘insurtech’ e ‘criptomoeda’, estando 43% na fase de ‘seed’” (fase inicial de desenvolvimento).

Portugal Blue quer distribuir 75 milhões de euros em investimentos na economia azul

A Portugal Blue quer mobilizar mais de 75 milhões de euros de capital privado, público e europeu para fomentar o ecossistema da economia azul portuguesa, disponibilizando capital de risco e expansão a mais de 30 empresas, em todos os estágios de desenvolvimento. O programa de investimento cobrirá até 70% da dimensão dos fundos selecionados, com o intuito de potenciar a capacidade crítica da plataforma local da economia azul.
Comentários