Moody’s melhora ‘outlook’ da IP. Apoio financeiro do Estado decisivo

A agência de notação explicou que o ‘outlook’ da Infraestruturas de Portugal (IP) está intimamente ligado ao ‘outlook’ da dívida soberana. A Moody’s reconheceu que as injeções de capital que o Estado tem feito na empresa pública como determinantes para melhorar o ‘outlook’.

Infraestruturas de Portugal

A agência de notação Moody’s melhorou esta quarta-feira o outlook da Infraestruturas de Portugal (IP) de “estável” para “positivo”, cujo capital é 100% detido pelo Estado português e é sujeita à tutela dos Ministérios do Planeamento e das Infraestruturas e das Finanças

Em comunicado, a Moody’s explicou que a melhoria do outlook da IP seguiu-se à melhoria que fez sobre o outlook da dívida soberana portuguesa, no passado dia 9 de agosto. “A alteração do outlook para ‘positivo’ da IP reflete a visão que a Moody’s sobre o aumento da capacidade do Governo apoiar a IP”, lê-se na nota.

“Isto demonstra ligações fortes entre a IP e o Governo de Portugal que tem prestado um apoio significativo à empresa na forma de injeções de capitais ao longo dos anos desde o começo da crise financeira”, disse a Moody’s. “Sem este apoio, a IP seria incapaz de satisfazer os custos operacionais e financeiros”.

A Moody’s antecipa que as injeções de capital do Governo na IP continuem, o que permitirá à empresa pública ter capacidade financeira para cobrir as despesas com o seu programa de investimento e assumir os pagamentos de dívidas,

“A Moody’s considera que a qualidade do crédito da IP está relacionada com a qualidade de crédito soberana” por três razões. Não só devido ao “seu papel crítico na gestão da ferrovia e rede de estradas em Portugal”, como também por causa da “sua autonomia financeira reduzida e supervisão apertada pelo Governo” e ainda por causa da “expectativa de Governo de Portugal continuar a prestar apoio financeiro quando necessário”.

Devido à estreita relação entre o outlook da dívida soberana e o outlook da IP, a Moody’s explicou ainda que a melhoria do rating da dívida portuguesa levaria à melhoria dos ratings da IP. Da mesma forma, a redução do rtating da dívida soberana também conduziria à redução do rating da IP.

Ler mais

Relacionadas

Moody’s revê ‘outlook’ da Brisa para ‘positivo’

A agência de ‘rating’ adiantou ainda que reviu em alta o ‘outlook’ (perspetiva) da empresa do Grupo José de Mello responsável pela principal concessão de autoestradas em Portugal de ‘Estável’ para ‘Positivo’.

Centeno espera futuras subidas no ‘rating’ de Portugal por parte da Moody’s

O ministro das Finanças, Mário Centeno, espera que a subida da perspetiva do ‘rating’ de Portugal por parte da Moody’s, de estável para positiva, traga, no futuro, “novos movimentos de melhoria da classificação da dívida”, disse esta sexta-feira à Lusa.

Moody’s mantém ‘rating’ de Portugal em Baa3, mas sobe perspetiva para ‘positiva’

A agência continua, no entanto, a colocar a República um nível abaixo das principais pares – tanto a Standard & Poor’s como a Fitch atribuem um rating de ‘BBB’.
Recomendadas

PSI-20 fecha com perdas tímidas. Galp perde 2%

Segundo os analistas do CaixaBank/BPI Research, a petrolífera liderada por Carlos Gomes da Silva continuou a espelhar o recuo do setor, motivado pela notícia de que a britânica Tullum cortou a sua projeção para a produção e eliminou o dividendo.

Data da entrada em vigor das tarifas adicionais aproxima-se e Wall Street não perdoa

A retalhista AutoZone dispara 8,35 % para 1.268,23 pontos, após ter divulgado os últimos resultados trimestrais e superado as expectativas dos analistas.

CTT, Galp, BCP e retalho pressionam bolsa portuguesa que acompanha pessimismo na Europa

Em Lisboa, doze empresas cotadas desvalorizam, três valorizam e outras três negoceiam sem variação.
Comentários