Morreu Soares dos Santos, o patrão da Jerónimo Martins

Era conhecido pela sua frontalidade. Disse várias frases inteligentes, mas polémicas, como “os pobres fizeram-se para a gente os transformar em classe média”, ao Observador, numa entrevista.

2. Alexandre Soares dos Santos e família – 3554 milhões de euros

Alexandre Soares dos Santos morreu esta sexta-feira, aos 84 anos. O empresário, que dirigiu o grupo Jerónimo Martins, foi vítima de cancro.

Alexandre Soares dos Santos era o dono e presidente da Jerónimo Martins que tem as cadeias de supermercados Pingo Doce, a Biedronka na Polónia e a Ara na Colômbia. A família é uma das mais ricas do país e o empresário foi eleito várias vezes pela Forbes o mais rico do país.

Desde setembro de 2013 que renunciou, por razões pessoais, ao cargo de presidente do Conselho de Administração do grupo Jerónimo Martins. Elísio Alexandre Soares dos Santos preparou-se assim para ir para os bastidores de um império que começou a construir em 1955, altura em que ingressou na Unilever, como gestor estagiário.

Seguiram-se funções de diretor de marketing da Unilever Brasil e em 1968 passou a integrar o Conselho de Administração do grupo Jerónimo Martins, como administrador delegado. Viria a assumir a presidência da Comissão Executiva, cargo que acumulou com o de presidente do Conselho de Administração, de 1996 a 2004. Desde sempre, todo o seu investimento, seja ele de que natureza for, gravitou em torno do grupo. Só em 2013, Soares dos Santos investiu mais de 539 mil euros em títulos da empresa, apesar de manter uma posição residual, de 0,030% do capital social da cotada. O empresário passou a deter assim 190.976 ações da Jerónimo Martins. De entre as suas apostas destaca-se a parceria com Jardim Gonçalves na criação das lojas Expresso Atlântico.

Era conhecido pela sua frontalidade. Disse várias frases inteligentes, mas polémicas, como “os pobres fizeram-se para a gente os transformar em classe média”, ao Observador, numa entrevista. Ou ainda como aquela proferida em 2018: “Isto é uma terra de primos e os primeiros passam a vida a fazer jeitos uns aos outros e depois estoiram-se todos”.

Falava várias vezes da falta de rumo do país. Fazia queixas dos políticos e contou que foi a morte do pai que lhe mudou a vida.

Em 2009 criou a Fundação Francisco Manuel dos Santos que gere o portal Pordata (base de dados) e elabora estudos económicos.

(atualizada)

Ler mais
Relacionadas

“Detesto investimento chinês”. Recorde as frases mais polémicas de Alexandre Soares dos Santos

Polémico e frontal, Alexandre Soares dos Santos não se coibia em proferir afirmações desconcertantes. Recorde as frases mais controversas do ex-administrador da Jerónimo Martins

Dos Amorim aos Soares dos Santos: estes são os rostos de mais de 12% do PIB português

A revista Forbes divulgou a lista dos 10 mais ricos em Portugal que, em conjunto, detêm mais de 12% do PIB nacional.

Forbes Portugal: famílias Amorim, Soares dos Santos e Silva Ribeiro lideram lista dos mais ricos

Maria Fernanda Amorim (Grupo Amorim) continua a ser a pessoa mais rica de Portugal, com uma fortuna avaliada em 4.173 milhões de euros, tendo como principais activos: Galp, Corticeira Amorim, Tom Ford e imobiliário. Mas a lista deste ano tem muitas novidades. Destaque para Luís Amaral, principal acionista da retalhista polaca Eurocash (e maior acionista do Observador).
Recomendadas

Telefónica analisa compra parcial da Oi, avaliada em 6 mil milhões

A Oi é detida em cerca de 5% pela Bratel da portuguesa Pharol, ex-PT SGPS, que por sua vez tem como acionista o Novo Banco com ​9,56%. E o BCP tem poder para vender os 9,99% da High Bridge por conta de uma dívida bancária não paga.

ASF aprova norma que estabelece qualificação adequada para vendedores de seguros

A ASF entende que o reforço da qualificação “em impacto na qualidade da prestação de serviços, na diminuição da conflitualidade e do número de reclamações, o que, por seu turno, acarreta consequências positivas em termos reputacionais e da imagem do setor”.

Portugal vai “perder 200 milhões de euros num ano” mas Altice não vai “estorvar” compra da TVI

O processo de compra da dona da TVI pela Altice, por 440 milhões de euros, caiu por terra em junho do ano passado, quando o grupo espanhol Prisa, dono da Media Capital, confirmou a desistência do negócio. Hoje Alexandre Fonseca voltou a criticar a Autoridade da Concorrência (AdC) por durante meses não se ter pronunciado sobre o negócio.
Comentários