“Não há nenhuma decisão sobre a terceira dose de vacina”, garante Gouveia e Melo (com áudio)

“Não há nenhuma decisão sobre a terceira dose de vacina, é um assunto que a DGS está a tratar. Não há sequer certeza científica da sua necessidade”, frisou o coordenador da task force. 

Mário Cruz/Lusa

O coordenador da Task Force, o vice-almirante Henrique Gouveia e Melo disse, esta terça-feira, que ainda não foi tomada nenhuma decisão relativamente à administração da terceira dose.

“Não há nenhuma decisão sobre a terceira dose de vacina, é um assunto que a DGS está a tratar. Não há sequer certeza científica da sua necessidade”, frisou o representante da task force.

“Uma coisa é dar mais uma dose a quem é imunodeprimido ou quem está a fazer um tratamento especifico e que tem as suas defesas mais baixas, mas são casos muito pontuais. Não é uma terceira dose generalizada”, sublinhou o vice-almirante Henrique Gouveia e Melo, destacando a importância de atingir um nível de vacinação em que 85% dos portugueses esteja vacinado.

Relativamente aos centros de vacinação que alguns municípios estão a pensar fechar, o vice-almirante Gouveia e Melo frisou que “neste momento ainda temos muita gente para vacinar”. O coordenador da Task Force acredita que estes centros de vacinação “hão de estar connosco até ao fim da corrida”.

Em entrevista à “RTP”, alter Fonseca, da Comissão Técnica de Vacinação da Covid-19 já tinha admitido que a DGS estudava “intensamente” a hipótese da terceira dose da vacina contra a Covid-19.

Quanto à vacinação para maiores de 12 anos, o coordenador da task force explicou que “nós abrimos a casa aberta para facilitar aos pais e às famílias”. “o universo são cerca de 380 mil jovens, portanto nós vacinamos quase 50% no período de férias”, revelou.

O vice-almirante destacou ainda a “elevada vontade” dos pais de que os filhos se vacinem e ainda que está é uma “oportunidade a todos os jovens de começar o ano letivo com menos preocupações”. ” Já não é só uma questão de saúde, é uma questão de liberdade”, considerou.

Relacionadas

Covid-19. Número de infeções diminui em Israel devido a terceiras doses da vacina

Nos últimos 10 dias, o número de infetados tem vindo a diminuir entre a faixa etária com mais de 60 anos, o primeiro grupo de pessoas a receber a terceira dose em Israel.
Recomendadas

Catarina Martins sinaliza que “só não há um OE se o Governo não quiser”

A líder bloquista exemplificou algumas das áreas nas quais quer ver avanços no documento de OE, como o SNS ou as “longas carreiras contributivas”, esclarecendo ainda que “não se prende por questões formais”, pretendendo apenas “redações exatas das leis”.

Pandemia com tendência crescente entre população acima dos 80 anos

Apesar de manter uma intensidade reduzida e incidência estável, o que resulta em baixa mortalidade e pressão nos serviços de saúde, a pandemia volta a dar sinais de crescimento em quase todas as regiões do país, com o R(t) a nível nacional a chegar a 1,00.

PCP: “Não tem havido grande evolução” nas negociações com o Governo sobre o OE2022

Segundo Jerónimo de Sousa, o partido transmitiu a Marcelo Rebelo de Sousa a importância de o orçamento do próximo ano ter incluídas medidas essenciais, nomeadamente de valorização dos salários, das reformas e das pensões, reforço da rede de creches e dos serviços públicos.
Comentários