Número de pessoas infetadas em Angola sobe para os 462

O secretário de Estado indicou que a percentagem de testes reativos é inferior ao que era previsto, sendo a maior parte pessoas que expressaram imunidade e “poucas pessoas que estão em fase ativa da doença”.

Angola aumentou hoje o número de casos de covid-19 para 462, com mais quatro infetados, anunciou o secretário de Estado para a Saúde Pública angolano, Franco Mufinda.

Os novos casos referem-se a três pessoas do sexo feminino e uma do sexo masculino, com idades entre um e 32 anos, sendo um dos infetados proveniente da Rússia num voo de repatriamento.

Franco Mufinda salientou que as autoridades sanitárias angolanas continuam a intensificar a testagem na comunidade entre os mercados, grupos de risco e centros-sentinela, tendo sido hoje escolhido o local dos Mártires de Kinfangondo, em Luanda, onde foram rastreadas cerca de 1.000 pessoas, através de testes rápidos (serológicos).

Entre estas, 69 foram reativas ao teste (IgG, revelando imunidade ao vírus ou IgG/IgM, em fase de transição) e seis eram IgM, o que significa que se encontram em fase ativa da doença, tendo sido isoladas.

O secretário de Estado indicou que a percentagem de testes reativos é inferior ao que era previsto, sendo a maior parte pessoas que expressaram imunidade e “poucas pessoas que estão em fase ativa da doença”.

No Cazengo, município do Cuanza Norte que está sob cerca sanitária, foram testadas 250 pessoas, das quais 12 reagiram, 9 revelaram imunidade (IgG), uma estava em fase de transição e as outras duas em fase ativa.

A testagem em massa vai ser concluída no sábado no mercado do Asa Branca em Luanda.

Angola conta agora com 462 casos confirmados, dos quais 23 óbitos, e 321 ativos, incluindo um doente em estado crítico.

Foram processadas até agora mais de 34 mil amostras, das quais 1586 nas últimas 24 horas, revelando quatro casos positivos.

Franco Mufinda adiantou que o teste realizado a um cidadão que se encontrava na Huíla, proveniente de Luanda, e tinha tido um resultado “reativo”, acabou por se revelar negativo, na confirmação através do teste de biologia molecular.

A pandemia de covid-19 já provocou 555 mil mortos e infetou mais de 12,2 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Entre os países africanos que têm o português como língua oficial, a Guiné Equatorial lidera em número de infeções e de mortos (3.071 casos e 51 mortos), seguida da Guiné-Bissau (1.842 casos e 26 mortos), Cabo Verde (1.591 casos e 19 mortos), Moçambique (1.111 casos e nove mortos), São Tomé e Príncipe (724 casos e 13 mortos) e Angola (462 infetados e 23 mortos).

Ler mais
Recomendadas

Cabo Verde Airlines em risco de desaparecer

O vice-primeiro-ministro cabo-verdiano, Olavo Correia, afirmou que, sem a intervenção do Estado, a Cabo Verde Airlines (CVA) “desaparecerá”.

PremiumPrimeiro-ministro de Cabo Verde: “Ajuda externa tem de evitar o colapso de países vulneráveis”

Primeiro-ministro cabo-verdiano diz que o Governo está a prolongar as medidas de proteção do emprego, das empresas e dos rendimentos.

Ativistas angolanas denunciam tentativa de fraude com crianças e pedido de donativos a Portugal

Em causa está uma angariação de donativos para cerca de 200 crianças abandonadas e com problemas de saúde, que se encontrariam num barracão nos arredores de Luanda e cuja localização exata os supostos benfeitores recusaram fornecer à estação televisiva “SIC”, que emitiu uma reportagem sobre o assunto.
Comentários