Operações na rede interbancária cabo-verdiana voltaram a subir em junho

Do total de transações processadas, o subsistema de cheques contabilizou 21.142 documentos descontados, no valor de 5.426 milhões de escudos (49 milhões de euros).

As operações na rede interbancária cabo-verdiana voltaram a crescer pelo segundo mês consecutivo em junho, para quase 64 milhões de euros, após quebras históricas em abril devido ao confinamento provocado pela covid-19, segundo dados do banco central.

Segundo um relatório estatístico do Banco de Cabo Verde (BCV) sobre o sistema de pagamentos do país, a rede interbancária cabo-verdiana, denominada vinti4 e que envolve nomeadamente Caixas Automáticas (CA/ATM) e Terminais de Pagamento Automático (TPA/POS), registou 2.640.183 operações, movimentando mais de 7.033 milhões de escudos (63,7 milhões de euros).

Trata-se de um aumento de 14,1% no valor movimentado de maio para junho e de um crescimento de 5,1% no total das operações realizadas pelos clientes dos vários bancos. Apesar de recuperar face a maio e sobretudo a abril – período de estado de emergência em Cabo Verde -, os registos de junho continuam em mínimos históricos, representando quebras de 2,7% em número de operações e de 11,6% em valor, relativamente ao total transacionado em junho de 2019.

Apesar das quebras homólogas de maio, os dados anteriores do Banco de Cabo Verde referem que as operações processadas na rede vinti4 aumentaram 40,4% face a abril e cresceram 47,3% em montante transacionado, comparando também com o mês anterior, que assim registou mínimos históricos nas operações, devido ao confinamento generalizado da população.

No mês de junho, o relatório do BCV refere que a rede vinti4 registou 520.887 levantamentos nas Caixas Automáticas, no valor de 2.855,5 milhões de escudos (25,8 milhões de euros), 51.606 carregamentos móveis, no valor de 35,4 milhões de escudos (320 mil euros) e 12.944 transferências, totalizando 372,7 milhões de escudos (3,4 milhões de euros), entre outras operações.

Os clientes da rede interbancária de Cabo Verde realizaram ainda no mês de junho 1.432.120 compras através de TPA ou ‘online’, no valor de 3.662,9 milhões de escudos (33,1 milhões de euros).

Segundo o mesmo relatório estatístico, com o término do estado de emergência e o levantamento progressivo, desde 01 de junho, das medidas de contenção adotadas para controlar a pandemia, “a utilização de instrumentos de pagamentos apresentou melhorias, comparativamente aos meses de abril e maio de 2020, que registaram reduções sem precedentes na utilização de instrumentos de pagamentos” no país.

Assim, foram processados em junho, através do sistema de compensação, 95.704 operações no valor de 14.818,8 milhões de escudos (133,6 milhões de euros), incluindo a rede interbancária. Apesar da subida face a maio, estes números correspondem a um acréscimo de 17,7% em quantidade, mas uma quebra de 15,1% em valor, relativamente ao mesmo período do ano 2019.

Do total de transações processadas, o subsistema de cheques contabilizou 21.142 documentos descontados, no valor de 5.426 milhões de escudos (49 milhões de euros), mas incluindo 256 devoluções no valor de 92,4 milhões de escudos (835 mil euros), enquanto o subsistema de transferências registou 74.241 operações no valor de 9.287,1 milhões de escudos (88,6 milhões de euros).

Ler mais
Recomendadas

Portugal tratou 8.344 doentes dos PALOP em quatro anos. Cabo Verde é o segundo com mais transferências médicas

As especialidades mais procuradas são a cardiologia, a oncologia, a oftalmologia, a pediatria, a urologia, a otorrinolaringologia, a cirurgia geral e cirurgia pediátrica, a ortopedia e a neurocirurgia. Em 2019, Angola enviou 46 doentes, Cabo Verde 619, a Guiné-Bissau 681, Moçambique 35 e São Tomé e Príncipe 234.

G20 diz que mais de metade dos países africanos pediram alívio da dívida

Entre os 30 países africanos que pediram um alívio da dívida estão os lusófonos Angola, Cabo Verde e São Tomé e Príncipe, que assinaram já um memorando de entendimento com o Clube de Paris, que operacionaliza a DSSI.

Mais de 300 trabalhadores pediram subsídio para quarentena em Cabo Verde

Nos meses de abril, maio e junho, o instituto público que gere as pensões cabo-verdianas recebeu 335 pedidos para atribuição do subsídio por isolamento profilático, uma quarentena estipulada em 14 dias, no valor equivalente a 70% do salário mensal auferido pelo trabalhador.
Comentários