Orçamento do Estado tem 20 milhões de euros para o programa Porta 65 Jovem

Esta verba foi anunciada pelo ministro das Infraestruturas e da Habitação Pedro Nuno Santos, durante a audição parlamentar. “Queríamos mais, mas é mais do que no ano anterior”, afirmou.

Cristina Bernardo

O Governo tem destinada uma verba de 20 milhões de euros para o programa Porta 65 Jovem. Este valor faz parte do Orçamento do Estado para 2020 e corresponde a um aumento de mais dois milhões de euros que os previstos no OE do ano passado. A medida foi anunciada pelo ministro das Infraestruturas e da Habitação Pedro Nuno Santos, durante a audição parlamentar sobre o OE 2020. “Queríamos mais, mas é mais do que no ano anterior”, afirmou.

O Porta 65 Jovem é um programa de apoio financeiro ao arrendamento jovem que apoia cidadãos entre os 18 e os 35 anos, que arrendem casa para habitação permanente. O apoio governamental consiste no pagamento mensal de uma percentagem do valor da renda e permite a emancipação dos jovens e a dinamização do mercado de arrendamento.

Pedro Nuno Santos disse também que no OE 2020, estão previstos 150 milhões de euros para a habitação, um valor que será na maioria aplicado ao programa 1.º Direito e à promoção de habitação acessível, de acordo com o ministro. “Não temos uma separação entre os dois programas porque isso permite-nos preservar alguma liberdade para fazer melhor a gestão da dotação que nós queremos”, referiu.

Outra medida anunciada por Pedro Nuno Santos é o facto do Estado possuir uma lista de imóveis públicos que serão analisados para se perceber qual o seu estado e nível de degradação, por forma a tentar saber qual o nível de investimento necessário nos mesmos.

Recomendadas

Gestora de alojamento local supera 30 mil hóspedes em Portugal

A GuestReady entrou no mercado português no final de 2018 já registou um total de 315 propriedades geridas, tendo ajudado 205 proprietários no país a rentabilizar os seus imóveis.

‘Vistos Gold’: Retirar Lisboa e Porto é “sinal negativo para investidores”, diz APEMIP

A medida apresentada pelo PS foi rejeitada pela associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária de Portugal que considera que a medida vai no sentido de tentar travar a procura no mercado, em vez de promover o aumento da oferta.

Avaliação das casas sobe para 1.321 euros/m2 em dezembro e fixa novo recorde

Este valor representa um aumento de nove euros face ao mês anterior. O valor médio da avaliação anual situou-se nos 1.286 euros/m2 , representando um crescimento de 7,9% relativamente ao ano anterior.
Comentários