Parlamento designa Yoshihide Suga novo primeiro-ministro do Japão

O parlamento do Japão designou hoje como novo primeiro-ministro Yoshihide Suga em substituição de Shinzo Abe, que apresentou a demissão por questões de saúde, após quase oito anos como líder do Governo.

Suga, de 71 anos, que foi chefe de Gabinete e ministro porta-voz do Governo de Abe, obteve 314 dos 462 votos, numa sessão extraordinária do parlamento japonês (Dieta), convocada para ratificar a escolha, na sequência da proposta do partido no poder e com maioria parlamentar.

Na segunda-feira, o Partido Liberal Democrata (PLD) escolheu Suga como novo líder, para completar o mandato que Abe também não cumpriu, até setembro do próximo ano.

Antes da confirmação parlamentar, Shinzo Abe, o primeiro-ministro japonês que mais tempo ocupou o cargo, e os membros do Governo tinham apresentado a renúncia.

Suga foi um apoiante leal de Abe desde a primeira passagem deste último pelo cargo de primeiro-ministro, de 2006 a 2007. O mandato de Abe terminou então abruptamente por causa de uma doença e Suga ajudou-o a regressar como primeiro-ministro em 2012.

Abe, de 65 anos, que sofre de colite ulcerosa, explicou no mês passado que era obrigado a renunciar, uma vez que tinha pela frente um tratamento contínuo com óbvio impacto físico, apesar de se sentir melhor.

O novo primeiro-ministro vai herdar uma série de desafios, incluindo as relações diplomáticas e económicas com a China e os Estados Unidos, bem como o que fazer com os Jogos Olímpicos de Tóquio, adiados para o próximo verão devido à pandemia.

Ler mais
Recomendadas

Oxfam: 1% mais ricos do mundo são responsáveis por mais do dobro das emissões poluentes do que 50% mais pobres

O relatório alertou ainda para o consumo excessivo do carbono por parte dos mais ricos, assumindo que estes estão a esgotar o “orçamento de carbono” mundial, sustentando que este é “finito”.

Reino Unido em fase crítica da pandemia, alerta diretor-geral de Saúde

“A tendência no Reino Unido está a ir em direção contrária e estamos a entrar num ponto crítico da pandemia”, admitiu o diretor-geral de Saúde de Inglaterra, Chris Whitty. “Estamos a analisar os dados para perceber como gerir a propagação do vírus antes que chegue um inverno desafiador”, explicou o médico consultor.

Biden diz que substituição no Supremo antes das eleições é “exercício de poder brutal”

“Se o Presidente Trump insiste em dar um nome, o Senado não deverá agir antes que os americanos possam escolher o seu próximo Presidente e o seu próximo Congresso”, prosseguiu o antigo vice-presidente de Barack Obama, que lidera as sondagens nacionais para a corrida à Casa Branca.
Comentários