PremiumPatrões esperam que novos apoios cheguem “urgentemente”

Confederações empresariais alertam que existem empresas em risco de insolvência, pois já não têm reservas ao contrário de anterior lockdown.

Com o agravamento da pandemia e o endurecimento de medidas de luta contra a Covid-19, os patrões alertam que existem empresas em risco de insolvência, pois já não têm reservas ao contrário do que aconteceu na Primavera do ano passado, e apelam a apoios imediatos que possam mitigar o impacto significativo do novo lockdown de um mês na atividade económica. Confederações empresariais aguardam agora que as medidas, que visam dar resposta às dificuldades provocadas pelo novo confinamento, cheguem “urgentemente” ao terreno.

“As consequências, agora, são ainda mais gravosas, porque as empresas estão fragilizadas, viveram o ano com a maior crise de sempre e já não têm reservas para enfrentar esta provação”, alerta o presidente da Confederação Empresarial de Portugal (CIP), realçando que, por isso,” é fundamental que os apoios sejam reforçados e que cheguem urgentemente ao terreno, às empresas”.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Lisboa Protege. Autarquia disponibiliza 20 milhões de apoio às empresas a partir de hoje

Esta fase do programa está orçada em 35 milhões de euros, sendo que 20 milhões são para os empresários com quebra de faturação superior a 25% nos três primeiros trimestres do ano passado ou na totalidade dos trimestres.

Dívida pública recuou em janeiro depois de ter atingido máximo histórico

A dívida recuou 600 milhões entre dezembro e janeiro refletindo “essencialmente amortizações de títulos de dívida, no valor de 0,3 mil milhões de euros, e a redução de responsabilidades em depósitos no valor de 0,2 mil milhões”, de acordo com o Banco de Portugal.

Sector do alojamento turístico perdeu 78,3% de hóspedes em janeiro

Apesar de uma redução no número de dormidas, a estada média nos estabelecimentos de alojamento aumentou 0,4%, situando-se em 2,30 noites em janeiro de 2021, depois de ter apresentado uma queda de -4,9% em dezembro.
Comentários