Penhoras bancárias ultrapassam 1.000 milhões de euros em quatro anos

O bastonário da Ordem dos Solicitadores e Agentes de Execução (OSAE), José Carlos Resende, nota que o número de penhoras eletrónicas diminuiu nos últimos quatro anos, apesar de se ter registado um aumento do valor arrecadado.

O novo Código do Processo Civil entrou em vigor em setembro de 2013 e, desde então, foram realizadas 339 mil penhoras de saldos bancários. A nova lei tornou mais céleres as penhoras bancárias e o valor já ultrapassa os 1.000 milhões de euros, avança o “Jornal de Notícias”.

Segundo o bastonário da Ordem dos Solicitadores e Agentes de Execução (OSAE), José Carlos Resende, o número de penhoras eletrónicas diminuiu nos últimos quatro anos, apesar de se ter registado um aumento do valor arrecadado. O “JN” nota que a 22 de fevereiro tinham sido penhorados saldos num valor acumulado de 1.033 milhões de euros.

Os leilões eletrónicos viram também um novo impulso à recuperação de créditos e o bastonário dá conta de que há “executados a agradecerem por ter vendido a casa porque acabam por ter lucro”. As execuções/penhoras foram, no ano passado, a segunda causa de sobre-endividamento dos casos que chegaram à Deco – Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor.

Com a entrada em vigor da nova legislação, os agentes de execução viram o seu trabalho facilitado, sem terem de recorrer a um juiz. José Carlos Resende sublinha que as penhoras eletrónicas vieram reduzir a burocracia e “evitar a humilhação de ir a casa de uma pessoa penhorar bens móveis, o que agora só acontece em último recurso”.

Relacionadas

Delação premiada e enriquecimento ilícito fora do Pacto de Justiça

A deleção premiada e o combate ao enriquecimento ilícito ficaram fora do Pacto de Justiça após juízes, procuradores, advogados, solicitadores e funcionários judiciais não chegarem a consenso, facto lamentado pelo presidente do sindicato de magistrados do Ministério Público.
Recomendadas

Comércio “altamente” dependente de flutuações de preços do petróleo

Um aumento do preço do petróleo resulta numa deterioração das trocas comerciais e numa diminuição do poder de compra das famílias, segundo estudo publicado no ‘Economic Bulletin Issue’ do BCE.

‘Fair play’ financeiro: UEFA pede mais investigação ao Paris Saint-Germain

Investigação do corpo de controlo das finanças de clubes (CFCB) da UEFA tinha sido encerrada no verão, mas a UEFA decidiu reenviar o caso para a Câmara Investigatória desse órgão, para uma investigação mais aprofundada.

Porto ultrapassa Lisboa nos preços do alojamento local

Ao contrário do que se verificava tradicionalmente, os valores em Lisboa subiram 11,6%, enquanto que, no Porto, o aumento atingiu os 17,5%.
Comentários