‘Penthouse’ mais cara de Portugal vendida por 7,35 milhões de euros. “Não vão bater o preço”, garante imobiliária

Um cidadão europeu pagou mais de 25 mil euros por m2 do apartamento mais caro alguma vez vendido em Portugal. A Vanguard Properties não espera que preço seja batido nos próximos tempos devido às características do imóvel e do prédio 203 Castilho. Faltam vender dez apartamentos.

Um cidadão europeu gastou 7,350 milhões de euros pelo décimo-terceiro andar do prédio de luxo 203 Castilho, em Lisboa, detido e construído pela imobiliária Vanguard Properties, disse fonte oficial da empresa ao Jornal Económico. A operação fez da penthouse o apartamento mais caro alguma vez vendido em Portugal.

A mesma fonte sublinhou que não antecipa que o preço seja batido nos próximos tempos, pelo que os 7,350 milhões de euros deverão permanecer um valor recorde no imobiliário português. “Não vão bater o preço. A localização daquele edifício, que tem um conjunto de características difíceis de repetir, como a altura e o facto de estar numa colina que é praticamente a mais alta de Lisboa”, explicam que o valor da venda seja difícil de bater, segundo apurou o Jornal Económico.

penthouse em causa é um apartamento com a tipologia T3, com uma área interior de 287 metros quadrados. Isto significa que o novo dono pagou cerca de 25,600 euros por m2. O décimo-terceiro andar do prédio que fica no número 203 da Rua Castilho tem ainda acesso ao terraço, que se estende por 260 m2, com vista sobre o Parque Eduardo VII e a Avenida da Liberdade.

O intervalo de preços dos apartamentos não é para qualquer carteira. Se o apartamento mais caro foi vendido por 7,350 milhões de euros, o mais barato, de tipologia T2 com 140 m2, terá um preço de venda a rondar os 1,360 milhões, isto é, cerca de 9,700 euros por m2.

Inicialmente concebido para 20 apartamentos – houve um comprador que pediu para fazer a junção de dois andares, ficando assim 19 – o prédio de luxo da Vanguard Properties, empresa detida pelo magnata francês, Claude Berda, e pelo empresário português, José Cardoso Botelho, oferece um serviço de concierge, uma piscina coberta, um spa e um ginásio no rés-do-chão e ainda uma piscina exterior no oitavo andar, com vista para a cidade de Lisboa.

No rés-do-chão estará exposta uma peça assinada pelo artista plástico português, José Pedro Croft, que será propriedade do condomínio.

Mas não basta ter os bolsos cheios para comprar um andar no 203 Castilho. “Estamos a ser selectivos” apesar da “muita procura”, explicou fonte oficial da Vanguard Properties. “Não queremos investidores. Queremos pessoas que comprem para usar”, disse. “E queremos pessoas que percebam o conceito em termos de serviços”, frisou.

O Jornal Económico apurou ainda que faltam vender dez apartamentos e a Vanguard Properties espera finalizar os negócios até ao final do ano.

Os compradores têm diversas nacionalidades, mas a maioria são brasileiros, britânicos e alguns vêm da África do Sul. Questionada sobre a possibilidade de haver compradores portugueses para um apartamento de luxo do prédio 203 Castilho, fonte oficial da Vanguard Properties respondeu em sentido afirmativo. “Sim, por agora temos um, mas no fim [quando os apartamentos forem todos vendidos], poderemos ter até três”, revelou.

A Vanguard Properties venceu a corrida para a compra dos terrenos do Fundo Imobiliário da Herdade da Comporta.

Turismo: Vanguard vai investir 1,5 mil milhões na ‘nova Comporta’

 

 

Ler mais
Relacionadas

Conheça por dentro o apartamento mais caro de sempre em Portugal

A imobiliária gerida por Claude Berda conseguiu vender o que é agora o apartamento mais caro de Lisboa, por 7,2 milhões de euros. Apesar do comprador não querer ser identificado, a empresa divulgou algumas imagens do que esperar do interior.

Juiz Carlos Alexandre atrasa venda da Herdade da Comporta ao consórcio Vanguard/Amorim

Magistrado não se opõe à venda, mas rejeita pronunciar-se sobre registo das servidões. Compradores dizem ter solução até final de agosto.

Guta Moura Guedes à frente da Associação Comporta Futuro

A ideia é que Guta Moura Guedes, dinamizadora do Experimenta Design, traga o seu know-how e contactos para dinamizar e internacionalizar a produção cultural de região.
Recomendadas

IMT proíbe circulação de veículos ferroviários sem controlo de velocidade (Convel)

No início desta semana, administração da IP revelou que tem uma solução credível, proposta pela Critical Software. Órgão regulador do setor dos transportes “requereu uma avaliação urgente da viabilidade da solução e, caso viável, a consequente implementação igualmente urgente”.

NBA lança-se no mundo das apostas com o serviço NBABet Stream

Com a legalização das apostas desportivas nos EUA em 2018, a NBA torna-se a primeira grande liga desportiva dos EUA a atacar o mercado.

Siza Vieira sobre a possibilidade de adeptos nos estádios: “É mais importante que os jogos se realizem em segurança”

“É mais importante garantirmos a segurança de que as atividades se realizem sem percalços e com limitações do que permitir flexibilidade e depois ter de voltar atrás”, realçou o ministro à margem da conferência sobre o ‘Futebol Profissional e Economia Pós Covid-19’ que decorreu em Oeiras.
Comentários