PEV vota contra estado de emergência e diz que decreto de Marcelo não tem “qualquer alteração”

Os ecologistas vão votar contra a renovação do estado de emergência e lamentam que um plano de desconfinamento não esteja já elaborado. “Aguardamos as próximas informações que possam vir do Governo”, sublinhou Mariana Silva.

A deputada do Partido Ecologista Os Verdes (PEV), Mariana Silva lamentou que um plano de desconfinamento ainda não tivesse sido elaborado pelo Governo, quando revelou o sentido de voto do partido quanto à renovação do estado de emergência, esta terça-feira.

Depois de uma reunião com o Presidente da República, Mariana Silva sublinhou que “o planeamento do desconfinamento já devia estar a ser feito”. “Lamentamos ainda não saber nada sobre ele, mas aguardamos as próximas informações que possam vir do Governo”, acrescentou a ecologista, cujo partido vai votar contra a renovação do estado de emergência.

Mariana Silva explicou que o encontro com Marcelo Rebelo de Sousa também serviu para o partido expressar as suas preocupações “com a economia, com os pequenos e médios empresários, com o facto de quanto mais tempo estivermos confinados pior será”. Além dos empresários, a deputada ecologista acredita que quanto maior for o tempo de confinamento pior será para os alunos. O PEV defende a escola presencial.

Quanto às mudanças no decreto presidencial, Mariana Silva destacou que Marcelo “disse que não havia qualquer alteração”. O facto de o Presidente da República não ter feito qualquer tipo de modificações no decreto presidencial para o próximo estado de emergência foi referida igualmente por partidos como a Iniciativa Liberal.

Relacionadas

PAN vai votar a favor do novo estado de emergência: “Narrativa não deve estar virada para desconfinamento”

O porta-voz do PAN, André Silva, considera que ainda é cedo para se falar em desconfinamento e que o confinamento e as medidas restritivas atuais devem manter-se por mais tempo para que possa consolidar-se a redução dos contágios pela Covid-19.

Chega vai manter voto contra estado de emergência se não houver sinais de “reabertura faseada”

O deputado único e presidente demissionário do Chega, André Ventura, defende que o confinamento está “a destruir mais do que a ajudar” e pede ao Governo que comece por apresentar um plano de reabertura das escolas.
Recomendadas

Governo espera reabrir turismo em maio

“Por enquanto, as viagens não essenciais precisam de ser restritas, mas acreditamos que Portugal vai poder permitir viagens sem restrições em breve, não só para pessoas vacinadas, mas também para pessoas imunes ou que testem negativo”, afirmou Rita Marques à BBC.

SATA aprova acordo de emergência. Sindicato diz que salvou mais de 500 postos de trabalho na TAP

Num universo de 213 associados tripulantes da SATA, votaram 152 associados, com 135 votos a favor e 17 votos contra o ‘Acordo de Emergência’, releva um comunicado do Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil, dando assim por concluído um processo que envolveu 40 reuniões com as administrações da PGA, da TAP e da SATA, num balanco global em que o sindicato destaca que se salvaram mais de 500 postos de trabalho na TAP.

Portugal vai entregar 60 mil testes à Covid-19 a Cabo Verde, Guiné-Bissau e São Tomé e Príncipe

As três nações dos PALOP recebem o material de diagnóstico e rastreio ao coronavírus entre esta sexta-feira e sábado.
Comentários