Philip Morris quer ter maioria da receita proveniente de produtos sem fumo em 2025

Novo presidente-executivo da maior empresa do mundo de produção e comercialização de tabaco dá Portugal como exemplo de um mercado que está a dotar rapidamente as novas tecnologias de produtos de tabaco sem combustão.

O novo presidente-executivo da Philip Morris International (PMI), Jacek Olczak, estabeleceu esta quinta-feira, 6 de maio, como objetivo para a empresa ter mais de 50% das receitas líquidas provenientes de produtos sem fumo, em 2025, e deu como exemplo de sucesso o mercado português.

Jacek Olczak, que até agora desempenhava as funções de administrador encarregado das operações (COO) da PMI, foi nomeado presidente executivo daquela que é a maior empresa do mundo de produção e comercialização de tabaco na sequência da assembleia geral de acionistas realizada a 5 de maio. Substitui André Calantzopoulos, que vai ocupar o cargo de presidente do conselho de administração.

Num encontro com jornalistas, Olczak reafirmou o compromisso de acelerar a transformação da empresa para uma oferta de produtos sem fumo (combustão), objetivo que tinha sido definido em 2016.

A aposta da PMI tem sido o desenvolvimento da tecnologia Iqos, um aparelho que aquece o tabaco sem o sujeitar a combustão, que o novo presidente-executivo da PMI considera ser o substituto do cigarro. Portugal foi o quarto país no mundo a iniciar a comercialização de Iqos.

No encontro com jornalistas, Jacek Olczak foi questionado sobre Portugal, que considerou uma “joia da coroa” da PMI, não só pelas instalações fabris da Tabaqueira, mas também pela forma como o mercado adotou os produtos sem combustão.

“O Iqos foi muito bem recebido pelos fumadores portugueses. Hoje, temos cerca de 350 mil utilizadores de Iqos, num universo de cerca de 1,7 milhões de fumadores”, afirmou. Este número de utilizadores representa um aumento de 130% face a outubro de 2018.

“É um caso de sucesso”, afirmou Olczak.

Em comunicado, Marcelo Nico, diretor-geral da Tabaqueira, subsidiária da PMI em Portugal, é citado dizendo o novo CEO tem conduzido a “transformação da PMI para um futuro a nível internacional de forma muito positiva”, e que “as suas aptidões e experiência perspetivam um novo e excitante capítulo”, quando “é necessário esclarecer e informar todos os agentes da sociedade, incluindo os consumidores, a comunidade científica e os reguladores sobre o que as novas soluções da PMI podem representar”.

“Na Tabaqueira queremos dar expressão a esta visão e desígnio através do aprofundamento do diálogo que temos em curso com os nossos principais interlocutores e autoridades públicas”, acrescenta.

Recomendadas

Presidente da Associação Portuguesa de Logística: “É fundamental investir em infraestruturas”

Raul Magalhães considera que o desenvolvimento dos portos marítimos nacionais foi o ponto forte do sector nos últimos anos, a par da evolução dos operadores e integradores logísticos.

PremiumCapgemini reforça ‘know how’ na área de engenharia

Apesar da procura acrescida em 2020, a Capgemini reporta um ano “sem disrupções”. Agora, o grupo procura com a Capgemini Engineering reforçar a sua capacidade técnica em sectores chave.

Terceiro passageiro na viagem ao espaço com Jeff Bezos pagou 23 milhões de euros

Este foi o único lugar colocado à venda e o dinheiro angariado reverterá a favor da fundação Club for the Future, uma associada da Blue Origin que promove o ensino da matemática e da ciência.
Comentários