Portugal é o país da OCDE que mais defende aumentar os impostos aos mais ricos para apoiar os mais pobres

Relatório “Risks that Matter”, publicado pela OCDE, esta terça-feira, revela ainda que 71% dos portugueses identificam a injustiça como a principal causa da pobreza.

Mais de 70% dos portugueses consideram que o Governo poderia aumentar os impostos dos mais ricos para apoiar os mais pobres. A conclusão é do relatório “Risks that Matter”, publicado pela OCDE, esta terça-feira, que coloca Portugal a liderar o ranking dos países com o maior número de inquiridos a responder afirmativamente a esta questão.

“Em cada país inquirido, mais da metade dos entrevistados escolheu “sim” ou “definitivamente sim” quando questionado: Deve o governo  taxar mais os mais ricos do que atualmente faz, para apoiar os mais pobres?”. Na Grécia, Alemanha, Portugal e Eslovénia, a participação aumenta para 75% ou mais”, refere a OCDE.

Fonte: Risks that Matter – Survey report, março de 2019

Segundo o relatório da OCDE, os inquiridos “continuam a expressar compaixão e apoio às políticas redistributivas em prol dos pobres”. Quando questionados sobre a razão pela qual mais pessoas vivem em situação de pobreza, a resposta mais comum em 17 dos 21 países foi “injustiça na sociedade”.

“71% dos portugueses e 68% dos mexicanos apontavam a injustiça como a principal causa da pobreza, assim como mais de dois terços dos entrevistados franceses, alemães e eslovenos”, explica a instituição com sede em Paris.

A um nível global, o estudo conclui que a satisfação e as perceções de justiça diferem de acordo com os grupos económicos e sociais. “Com isto em mente, não é surpreendente que essa insatisfação difira entre os grupos. As pessoas mais velhas, por exemplo, são geralmente muito mais propensas do que as pessoas mais jovens a acreditar que não poderiam ter benefícios e serviços públicos se precisassem”, refere o estudo.

O inquérito da OCDE abrangeu 21 países – Áustria, Bélgica, Canadá, Chile, Dinamarca, Estónia, Finlândia, França, Alemanha, Grécia, Israel, Irlanda, Itália, Lituânia, México, Holanda, Noruega, Polónia, Portugal, Eslovénia e Estados Unidos -, tendo decorrido em duas fases (na primavera e no outono) e sido aplicado a uma amostra de 22 mil pessoas com idades compreendidas entre os 18 e os 70 anos.

Ler mais
Relacionadas

Quase metade dos portugueses pagariam mais impostos para terem melhores cuidados de saúde pública

Relatório da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Económico coloca Portugal no segundo lugar do pódio dos países com o maior número de inquiridos que diz que estaria disponível para um aumento de 2% de impostos para beneficiar de melhores cuidados de saúde pública.
Recomendadas

Sri Lanka: Cerca de uma dezena de turistas portugueses já pediram o regresso antecipado após ataques terroristas

Cerca de 10 portugueses quiseram regressar a Portugal depois dos ataques terroristas no Sri Lanka que mataram um cidadão português. Outros turistas nacionais optaram por prosseguir as férias nas Maldivas.

Partidos gastam quase 5 milhões de euros com as eleições europeias

Trata-se de um aumento de mais de 500 mil euros face aos 16 partidos e coligações que se apresentaram na corrida em 2014

CFP vai ao parlamento falar sobre Programa de Estabilidade 2019-2023

Nazaré Costa Cabral vai esta terça-feira à Comissão de Orçamento, Finanças e Modernização Administrativa falar sobre o Programa de Estabilidade 2019-2023, que o Governo apresentou em 15 de abril.
Comentários