Portugal é um dos países que mais penaliza casais com filhos e salários médios

Um casal com dois filhos e o salário médio está sujeito a uma carga fiscal sobre o trabalho acima da média da União Europeia. Além de Portugal só a República Checa iguala a mesma carga fiscal relativamente a este factor.

Teodora Cardoso, presidente do Conselho de Finanças Públicas

Portugal encontra-se entre os países europeus com economias de riqueza comparadas à sua, onde um casal com salários médios e filhos está sujeito a mais impostos sobre o trabalho. A notícia é avançada esta quinta-feira pelo “Jornal de Negócios” e é uma das conclusões do Conselho das Finanças Públicas (CFP), que fazem parte do relatório “Riscos Orçamentais e Sustentabilidade das Finanças Públicas”.

O nosso país é a par da República Checa aquele que apresenta a mais elevada carga fiscal sobre o factor do trabalho, “de todos os países considerados na amostra”, indica o relatório. Relativamente a este factor, Portugal tem também uma carga fiscal acima da média da União Europeia.

Um casal que tenha dois filhos e salários médios a carga fiscal pesa 38,7%, acima dos 36,7% da média europeia e a par dos 38,8% da República Checa. Por outro lado, este relatório revela que Portugal se destaca “como o Estado mais competitivo de todos os selecionados quando se consideram as mesmas situações familiares, mas com salários inferiores”.

Esta competitividade faz-se sentir ainda mais em cidadãos solteiros e sem filhos, com um salário 50% abaixo da média europeia, já que em Portugal a carga fiscal sobre o trabalho pesa 28,1%, e na média europeia 32,1%.

Recomendadas

Investimento de 50 milhões vai permitir ao Alqueva ter o maior projeto fotovoltaico flutuante da Europa

Esta foi a solução encontrada pela Empresa de Desenvolvimento e Infraestruturas do Alqueva (EDIA) para fazer face aos custos elevados que a EDP cobra pelo fornecimento de energia às centrais hidroelétricas de Alqueva e Pedrógão.

Moody’s: Portugal com economia em risco a partir de 2030 devido ao envelhecimento da população

Para contrariar os riscos de recessão económico, a agência defende que devem ser tomadas medidas que aumentem o crescimento da produtividade ou que sustentem o crescimento económico.

Alunos deslocados têm de se registar todos os anos no portal do Fisco para deduzir a renda

A renda paga pelos alunos que estão a estudar a mais de 50 quilómetros de casa pode ser deduzida ao IRS, mas para tal é necessário que todos os anos o estudante comunique ao fisco que se encontra deslocado.
Comentários