Portugal envia mais de um milhar de armas para polícias de Cabo Verde e São Tomé

Os 40 volumes de carga, transportados pela Força Aérea, foram entregues na quarta-feira em Cabo Verde e na quinta-feira em São Tomé e Príncipe.

O Ministério da Administração Interna (MAI) português enviou esta semana mais de um milhar de armas para as forças policiais de Cabo Verde e São Tomé e Príncipe.

A distribuição das armas, oriundas da Polícia de Segurança Pública (PSP), “insere-se na política de cooperação portuguesa na área da segurança interna com os países africanos lusófonos”, afirmou o MAI, em nota de imprensa divulgada este fim de semana.

O Governo português enviou mais de 900 pistolas Walther para a polícia de São Tomé e Príncipe e 200 armas do mesmo modelo para as forças cabo-verdianas, além de “dezenas de milhares de munições de calibre 7.65 milímetros para aquelas duas forças de segurança”, acrescentou.

Os 40 volumes de carga, transportados pela Força Aérea, foram entregues na quarta-feira em Cabo Verde e na quinta-feira em São Tomé e Príncipe.

“Com este processo de cedência de armamento, que decorre do programa de modernização do material das forças e serviços de segurança nacionais, a PSP contribui assim para o reforço das capacidades daquelas organizações lusófonas congéneres”, salientou o MAI.

A cooperação entre Portugal e países africanos de língua oficial portuguesa envolve ainda as vertentes da formação e assessoria.

Ler mais
Recomendadas

África com mais 932 mortes por Covid-19 registadas em 24 horas

África registou nas últimas 24 horas mais 932 mortes por covid-19, alcançando um total de 77.684, e 30.855 novos casos de infeção, segundo os últimos dados oficiais da pandemia no continente

Rui Figueiredo Soares é o novo ministro dos Negócios Estrangeiros de Cabo Verde

O atual ministro da Integração Regional de Cabo Verde passa esta quinta-feira a acumular com o cargo de ministro dos Negócios Estrangeiros e da Defesa, após a demissão de Luís Filipe Tavares, devido à polémica envolvendo o partido Chega.

Primeiro-ministro de Cabo Verde garante que Governo não tem ligações ao Chega 

“Nem este Governo, nem o partido que o apoia [MpD], têm alguma relação de afinidade ou simpatia com partidos do tipo do Chega! em Portugal, nem partidos de lógica ideológica similar”, afirmou Ulisses Correia e Silva.
Comentários