Portugal ratifica convenção sobre o trabalho na pesca

Entre os propósitos da Convenção está garantir que os navios de pesca proporcionam condições de vida dignas aos pescadores a bordo. Portugal tem atualmente cerca de 16.164 pescadores registados.

Portugal assinou recentemente a Convenção sobre o trabalho na pesca. O país junta-se assim aos esforços internacionais de garantir “condições dignas de vida e de trabalho para os pescadores”. É o quinto membro da União Europeia a ratificar a Convenção.

A Convenção sobre o trabalho na pesca é – conforme explica a Organização Internacional do Trabalho, (OIT) – “um instrumento abrangente que estabelece requisitos vinculativos relacionados com o trabalho a bordo de navios de pesca, incluindo a segurança e a saúde no trabalho, a assistência médica no mar e em terra, os períodos de descanso, os acordos de trabalho escritos e a proteção através da segurança social”. Visa também garantir que os navios de pesca proporcionem condições de vida dignas aos pescadores a bordo.

O setor das pescas  tradicionalmente com forte expressão em Portugal, ocupa ainda um lugar de relevo em termos de criação de riqueza e de emprego. Com 16.164 pescadores registados em 2018 e 3.944 embarcações de pesca autorizadas, foi responsável por 1,1 mil milhões de exportações em 2018.

Portugal respondeu igualmente de forma positiva ao apelo da Conferência Internacional do Trabalho de democratizar o funcionamento e a composição dos órgãos da OIT, tendo depositado o Instrumento de Emenda à Constituição da OIT de 1986 .

 

Recomendadas

“Já se demitiram?”. Ana Gomes reage aos ‘Luanda Leaks’ e pede afastamento de Carlos Costa

Ex-eurodeputada já reagiu à revelação dos ‘Luanda Leaks’ e pergunta se Carlos Costa e Fernando Teixeira dos Santos já se demitiram.

Site da APAF pirateado numa manifestação de apoio a Rui Pinto

O site da APAF, que entretanto já voltou à normalidade, surgia com uma configuração completamente diferente da habitual, já que era apresentada com uma foto de destaque de Rui Pinto.

PremiumPSD remete alterações ao OE para depois de eleições internas

Propostas dos sociais-democratas só dão entrada no Parlamento a partir da próxima semana. Direção de Rui Rio chama a si proposta de redução do IVA da eletricidade por ter “relevo político nacional”.
Comentários