Portugal subiu e é o 34º país mais competitivo do mundo. Veja aqui o ranking completo

O Ranking Global Competitivity Index 4.0 do World Economic Forum foi divulgado esta quarta-feira na escola de negócios AESE, pela PROFORUM e pelo FAE-Forum de Administradores e Gestores de Empresas.

Portugal subiu, em 2018, no conjunto de 140 países, de 42º para 34º no Ranking Mundial de Competitividade. A avaliação foi melhor do que em 2014, tendo também a pontuação (score) subido de 4,57 para 4,91, atingindo assim a situação que o país tinha em 2005.

“Foi graças a esta mudança de metodologia do WEF que ultrapassámos nove países embora tenhamos sido ultrapassados pela Itália”, explica os promotores do estudo em Portugal. “Se a mesma metodologia fosse aplicada a 2017 teríamos nesse ano ficado em 33º, tendo então caído uma posição para 34º, ultrapassados pelo Chile”.

O Ranking no novo GCI 4.0, Global Competitivity Index 4.0 do World Economic Forum foi apresentado esta quarta-feira de manhã ao país na AESE Business School em Lisboa pela sociedade pela PROFORUM, Associação para o Desenvolvimento da Engenharia e pelo FAE-Forum de Administradores e Gestores de Empresas.

Na edição deste ano não houve a tradicional listagem das preocupações dos empresários.

Estes são os piores indicadores em que Portugal é colocado acima da 100.ª posição nos 140 países:

  • Rácios de capital da banca                    108
  • NPLs (crédito malparado)                     112
  • Complexidade das tarifas                      112
  • Mobilidade laboral                                  116
  • Eficiência das disputas legais               116
  • Impostos laborais                                   117
  • Contratações/despedimentos              121

Recomendadas

EDP desiste do processo contra o Estado na CESE. Custos superam probabilidade de sucesso

A energética anunciou ainda que vai pedir a Bruxelas a análise da conformidade relativamente ao futuro do mecanismo de financiamento da Tarifa Social. “A EDP não questiona a existência da Tarifa Social em si mesma, com cujo propósito concorda, mas não pode, atendendo à evolução do respectivo regime, conformar-se com os termos de financiamento”.

‘Fintech’ crescem em Portugal apesar da pandemia, revela relatório

De acordo com o “Portugal Fintech Report 2020”, apresentado esta manhã pela Associação Portugal Fintech, “a maior parte das ‘fintechs’ em Portugal situa-se nos verticais de ‘pagamentos e transferências’, ‘insurtech’ e ‘criptomoeda’, estando 43% na fase de ‘seed’” (fase inicial de desenvolvimento).

Portugal Blue quer distribuir 75 milhões de euros em investimentos na economia azul

A Portugal Blue quer mobilizar mais de 75 milhões de euros de capital privado, público e europeu para fomentar o ecossistema da economia azul portuguesa, disponibilizando capital de risco e expansão a mais de 30 empresas, em todos os estágios de desenvolvimento. O programa de investimento cobrirá até 70% da dimensão dos fundos selecionados, com o intuito de potenciar a capacidade crítica da plataforma local da economia azul.
Comentários