Portugal tenciona “redirecionar” 5% das vacinas para PALOP e Timor-Lest

“Nenhum país do mundo estará seguro até que todos estejam seguros”, diz o primeiro-ministro, António Costa.

António Cotrim / Lusa

O primeiro-ministro afirma que África será prioritária na disponibilização de doses adicionais de vacinas contra a covid-19 e que Portugal procurará “redirecionar” para Timor-Leste e países africanos de expressão portuguesa (PALOP) 5% das vacinas adquiridas.

Estas posições foram assumidas por António Costa numa intervenção pré-gravada para um evento promovido pela Global Citizens, uma organização não governamental (ONG) que está a lançar uma campanha para a mobilização de mais fundos para a luta global contra a covid-19 – uma iniciativa que conta com o apoio da Comissão Europeia.

No seu breve discurso, o líder do executivo português considerou que “o apoio à vacinação internacional é essencial para a erradicação da pandemia de covid-19” e defendeu a tese de que “nenhum país do mundo estará seguro até que todos estejam seguros”.

“Para além de financiar a Iniciativa Covax, que tem como objetivo fornecer vacinas a 20% da população de 92 países, no âmbito da União Europeia estamos a trabalhar num mecanismo de partilha de vacinas que poderá disponibilizar doses adicionais de vacinas, sendo África naturalmente uma prioridade”, apontou o primeiro-ministro de Portugal, país que preside até junho ao Conselho da União Europeia.

De acordo com o líder do executivo português, desde o início da pandemia já foram investidos “mais de 3,5 milhões de euros em meios de prevenção e combate, enviando material médico, de proteção, diagnóstico e terapêutica para os principais países parceiros da cooperação – os países africanos de língua oficial portuguesa (PALOP) e Timor-Leste”.

“Continuaremos empenhados neste caminho, e envidaremos esforços no sentido de redirecionar para os nossos tradicionais parceiros de cooperação 5% das vacinas adquiridas por Portugal, dando seguimento às ações de formação e capacitação local. Neste caso, dependemos mesmo uns dos outros e, por isso, temos mesmo de contar uns com os outros”, acrescentou António Costa.

Na segunda-feira, a Organização das Nações Unidas (ONU) anunciou que Cabo Verde será um dos primeiros países africanos a receber vacinas contra a covid-19 através da plataforma internacional Covax, que visa para a imunização de 35% da população.

A Covax é uma iniciativa conjunta da OMS e da Aliança para o Acesso às Vacinas (GAVI) para fornecer vacinas contra a covid-19 a países de médio e baixo rendimento.

De acordo com o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC), sediado em Adis Abeba, Etiópia, o continente africano registou até agora 3.830.631 casos de infeção pelo novo coronavírus, incluindo 101.350 mortos

Ler mais
Recomendadas

Santo Antão vai ter quinto aeroporto internacional de Cabo Verde com pista de 2 mil metros

O aeroporto internacional de Santo Antão vai ficar localizado na zona de Ponta do Morro Preto, a sete quilómetros da cidade do Porto Novo, e nas imediações de Casa de Meio, no mesmo concelho.

Marcelo Rebelo de Sousa vence prémio da CPLP 

Segundo o embaixador Francisco Ribeiro Telles, “o Presidente Marcelo Rebelo de Sousa foi escolhido por consenso” entre os membros do júri, os embaixadores dos nove Estados-membros da CPLP.

Portugal vai entregar 60 mil testes à Covid-19 a Cabo Verde, Guiné-Bissau e São Tomé e Príncipe

As três nações dos PALOP recebem o material de diagnóstico e rastreio ao coronavírus entre esta sexta-feira e sábado.
Comentários