Praxes académicas. DGES soma cinco queixas por praxes “abusivas e violentas”

Ministério da Ciência e do Ensino Superior “lamenta e repudia os dois eventos associados a ‘praxes académicas’”.

Tradução UA

Desde o início do ano letivo que a Direção-Geral do Ensino Superior (DGES) já recebeu cinco queixas de praxes “consideradas abusivas e violentas”.

O Ministério da Ciência e do Ensino Superior encaminhou os cinco casos de praxes envolvendo alunos da Universidade da Beira Interior e de Évora para a Inspecção-Geral da Educação e Ciência (IGEC), esperando-se agora que a entidade “desenvolva a atuação adequada nas situações de apreço”, para “punir adequadamente todas as manifestações de poder, humilhação e subserviência associadas a praxes académicas”.

Já foram noticiados outros casos de praxes abusivas.

Uma dessas situações foi denunciada pelo Bloco de Esquerda e dizia respeito a um aluno da Universidade de Évora que foi obrigado a ajoelhar-se em cima das próprias mãos e teve de colocar a cabeça no chão em cima de um monte de farinha.

O outro episódio envolveu um aluno da Universidade da Beira Interior que apresentou queixa à escola depois de ter sido alvo de uma praxe violenta. Segundo o ”Correio da Manhã”, o aluno foi levado de noite para a Serra da Estrela, foi obrigado a despir-se e foi agredido. A universidade já abriu um inquérito interno para apurar o que aconteceu, tendo ainda apresentado queixa ao Ministério Público.

Em comunicado, o Ministério da Ciência e do Ensino Superior “lamenta e repudia os dois eventos associados a ‘praxes académicas’”.

No ano letivo passado, a entidade recebeu dez queixas.

Em comunicado, o ministério demonstrou o “total apoio ao combate a manifestações de abuso, humilhação e subserviência realizadas entre grupos de estudantes, sejam no espaço público ou dentro das instituições”.

Ler mais
Relacionadas

Universidade do Porto proíbe praxes que “atentem contra a dignidade”

O novo reitor emitiu um despacho ameaçando de expulsão os alunos que perpetuarem atos contrários aos regulamentos. A Universidade já antes tinha assumido esta postura, que se vai multiplicando em todo o país.

Fidelidade entre os principais mecenas do novo Campus da Nova SBE

A companhia pretende criar uma nova experiência e aproximação entre a academia e as novas gerações com o setor dos seguros, com a abertura do Fidelidade Studio no novo Campus da Nova SBE – a Escola de Economia e Gestão da Universidade Nova, em Carcavelos.
Recomendadas

Projeto-lei do PAN que regulariza propinas em atraso foi aprovado

O projeto-lei que defende um novo mecanismo de regularização de propinas em atraso foi hoje aprovado pela Comissão. No novo documento prevê-se um plano de pagamentos às instituições em prestações.

Turismo de Portugal requalifica campus e expande oferta num investimento de 24 milhões

O projeto envolve instituições públicas e empresas privadas e será financiado em 40% por privados, sabe O Jornal Económico.

Madeira com nota positiva a Português e Matemática nos exames finais do 3º ciclo

A média em Português foi de 58% e em Matemática atingiu os 54%.
Comentários