Preço das casas com subida recorde de 5,4% na zona euro

O preço das casas aumentou 5,4% na zona euro no quarto trimestre de 2020, a maior subida desde o quarto trimestre de 2006, e 5,7% na União Europeia (UE), face ao período homólogo, divulga o Eurostat.

Segundo o gabinete estatístico europeu, a subida homóloga dos preços das casas acelerou entre outubro e dezembro, face à registada no terceiro trimestre de 2020: 4,9% e 5,3%.

Na comparação em cadeia, nos últimos três meses de 2020 os preços dos imóveis para habitação subiram 1,4% na zona euro e 1,3% na UE, depois de no trimestre anterior terem aumentado, respetivamente, 1,3% e 1,4%.

Entre os Estados-membros para os quais há dados disponíveis, os maiores aumentos homólogos dos preços das casas no quarto trimestre de 2020 foram observados no Luxemburgo (16,7%), Dinamarca (9,8%) e Lituânia (9,4%).

Em comparação com o trimestre anterior, os maiores aumentos foram registados em Chipre e Luxemburgo (ambos 4,7%), Lituânia (3,9%) e Estónia (3,8%), tendo sido observadas quebras em Espanha (-0,8%) e Hungria (-0,7%).

Em Portugal, entre outubro de dezembro de 2020, os preços dos imóveis para habitação subiram 8,6% face ao quarto trimestre de 2019 e 2,1% na variação em cadeia.

Recomendadas

Novo Banco: Avaliadores não veem razões para mudanças de valores de imóveis em seis meses

O responsável, ouvido esta quinta-feira na audição do presidente da ANAI Ramiro Teixeira Gomes na Comissão Eventual de Inquérito Parlamentar às perdas registadas pelo Novo Banco e imputadas ao Fundo de Resolução, referia-se a “perdas de imparidades de uma instituição financeira, neste caso o Novo Banco, por via de ativos” imobiliários.

Cavaco lamenta “interpretações abusivas” acerca de declarações sobre BES

O antigo Presidente da República classificou de “intuitos pouco honestos” as declarações de quem fez “interpretações abusivas” das suas palavras sobre o BES antes da resolução, “chegando ao ponto de afirmar” que “tinha incentivado as aplicações em instrumentos financeiros do BES ou do respetivo grupo não financeiro”.

Sines vai arrancar com Data Centre Campus, um investimento que pode chegar a 3,5 mil milhões

A cerimónia de apresentação do projeto, que pode criar até 1.200 empregos qualificados e é da responsabilidade da empresa star campus, será encerrada pelo primeiro-ministro, António Costa.
Comentários