Primeiro-ministro libanês apela para ajuda de países amigos

“Lanço um apelo urgente a todos os países amigos e aos países irmãos que amam o Líbano a estarem do nosso lado e a ajudarem-nos a curar as nossas feridas profundas”, afirmou o chefe do executivo libanês.

REUTERS/Mohamed Azakir

O primeiro-ministro libanês, Hassan Diab, apelou hoje aos “países amigos” para ajudarem o país, depois das mortíferas explosões que abalaram o porto da capital, Beirute.

“Lanço um apelo urgente a todos os países amigos e aos países irmãos que amam o Líbano a estarem do nosso lado e a ajudarem-nos a curar as nossas feridas profundas”, afirmou o chefe do executivo libanês.

As palavras de Hassan Diab já foram ouvidas no mundo árabe, tendo vários países mostrado solidariedade com o Líbano e a ofereceram-se para enviar ajuda depois da forte explosão no porto de Beirute, que provocou um número indeterminado de vítimas e grandes danos materiais em vários bairros.

O Presidente egípcio, Abdel Fatah al-Sisi, através das redes sociais, expressou condolências para com o Governo e povo libaneses, e desejou rápidas melhoras aos feridos, bem como manifestou palavras de consolo às famílias das vítimas.

O ministro da Saúde do Líbano, Hassan Hamad, disse que as violentas explosões fizeram pelo menos 25 mortos e mais de 2.500 feridos, nas primeiras estimativas.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros egípcio afirmou, num comunicado, que segue com “profunda preocupação” a situação e que o Governo do Cairo está em contacto com o congénere de Beirute para conhecer os pormenores e para enviar “toda a ajuda ao país irmão nestas condições difíceis”.

Por outro lado, o vice-presidente e primeiro-ministro dos Emirados Árabes Unidos (EAU), Mohamed Bin Rashid al-Maktum, enviou, também através das redes sociais, condolências ao “querido povo libanês” e pediu a Deus que lhe dê “paciência e consolo”.

O emir do Qatar, Tamim Bin Hamada al-Zani, disse ter conversado ao telefone com o Presidente libanês, Michel Aoun, para lhe transmitir os pêsames e também a oferecer-se para enviar “todo o tipo de ajuda”, segundo indicou a agência de notícias oficial QNA.

O Líbano, que se encontra mergulhado numa profunda crise económica, com uma dívida pública de 90.000 milhões de dólares (cerca de 76.000 milhões de euros), 170% do seu Produto Interno Bruto, viu ainda recentemente a libra libanesa perder em torno de 80% o seu valor face ao dólar norte-americano.

Ler mais
Relacionadas

Beirute. Autoridades admitem tratar-se material explosivo em armazém

A origem das explosões, que partiram as janelas de muitas casas e lojas, ainda não foram esclarecidas, mas as autoridades admitem que a origem possa estar em material que estava armazenado na zona.

“Parece o fim do mundo”. Explosão em Beirute provoca pelo menos 10 mortos, avança ‘Reuters’

Um incêndio seguido de uma violenta explosão no porto de Beirute provocou várias vítimas e danos que chegaram até ao centro da capital. Origem da explosão é desconhecida. Veja as imagens das explosões na capital do Líbano.
Recomendadas
tik tok

Tik Tok lança guia para combater ‘fake news’ nas presidenciais norte-americanas

A empresa admite que “não é a aplicação ideal para notícias de última hora ou política” mas explica que sabe que “um lar onde os norte-americanos se expressam”. O objetivo é apoiar os utilizadores com informações credíveis sobre questões públicas dos Estados Unidos.

Biden e Trump defrontam-se pela primeira vez. Pandemia, tensão racial e impostos do presidente são os temas quentes

Com o aproximar das eleições presidenciais norte-americana, o primeiro debate realiza-se no meio de uma grande tensão política e social nos EUA, dada a pandemia e os protestos raciais que se seguiram à morte de George Floyd.

Bolsonaro diz que subsídios para os mais pobres na luta contra a pandemia não são eternos

De acordo com a imprensa brasileira, Bolsonaro justifica o aumento da despesa pública com a atribuição de subsídios aos mais carenciados, para mitigar efeitos da pandemia da Covid-19. Contudo, o presidente do Brasil diz que apoios não são para sempre.
Comentários