Produção industrial recua 2% em julho na zona euro

A produção industrial recuou em julho 2,0% na zona euro e 1,2% na União Europeia (UE), face ao mês homólogo, com Portugal a registar uma quarta maior quebra (-3,4%), divulga hoje o Eurostat.

Vasily Fedosenko/Reuters

Já na variação em cadeia, a produção industrial caiu 0,4% na zona euro e 0,1% na UE, com Portugal, em contraciclo a apresentar a segunda maior subida no indicador (3,6%).

Face a julho de 2018, a Estónia (-5,4%), a Alemanha (-5,3%), a Roménia (-5,2%) e Portugal (-3,4%) foram os países que registaram as maiores quebras na produção industrial, com a Hungria (8,7%), a Dinamarca e a Lituânia (5,1% cada) a registarem os maiores avanços.

Na comparação com o mês anterior, em julho as quebras mais representativas observaram-se na Roménia (-3,3%), na Estónia (-2,9%) e na Letónia (-2,1%) e as principais subidas na Croácia (4,9%), em Portugal (3,6%) e na Dinamarca (3,5%), segundo o gabinete estatístico europeu.

Recomendadas

Leitores internacionais da Time Out não têm dúvidas: Bairro lisboeta de Arroios é o mais cool do mundo

A freguesia de Arroios, localizada na zona da Avenida Almirante Reis em Lisboa, superou bairros em Berlim, Lons Angeles, Nova Iorque, Tóquio ou Madrid.

Défice externo agrava-se para 1.633 milhões de euros até julho

O défice da balança de bens aumentou 2028 milhões de euros e o excedente da balança de serviços diminuiu 137 milhões de euros até julho, explica o Banco de Portugal.

“Universidade com 700 anos quer banir um alimento com milhares de anos? Incompreensível”. Produtores de leite revoltados com Universidade de Coimbra

A organização explica que a carne não é o principal produto das vacarias e que a venda ou engorda dos vitelos machos e das vacas após o fim da vida produtiva “é um complemento fundamental, quando o preço do leite está abaixo do custo de produção”.
Comentários