PSD defende reuniões epidemiológicas quinzenais e transmitidas pelo canal Parlamento

O PSD também pediu que nas reuniões estivessem presentes “um representante do Ministério da Saúde, outro ou outros representantes governamentais, caso o Governo assim o entenda, epidemiologistas de instituições públicas e privadas, a indicar sob proposta da Direção-Geral da Saúde, outros especialistas que a Comissão de Saúde venha a deliberar ouvir”.

Manuel de Almeida/LUSA

O PSD pediu à Comissão de Saúde que as reuniões epidemiológicas fossem quinzenais e que fossem transmitidas pelo canal do Parlamento, segundo texto publicado no site do partido hoje, dia 13 de Julho.

“Para substituir o progressivo esgotamento do modelo de informação das reuniões do Infarmed, o grupo do parlamentar do PSD requereu à Comissão de Saúde que delibere sobre a realização, a partir do início da próxima sessão legislativa e com periodicidade quinzenal e duração indeterminada, reuniões subordinadas à temática da situação epidemiológica da covid-19 em Portugal”, referiu o partido social democrata.

Quanto aos que estarão presentes nas sessões, o PSD pediu que nas reuniões estivessem  “um representante do Ministério da Saúde, outro ou outros representantes governamentais, caso o Governo assim o entenda, epidemiologistas de instituições públicas e privadas, a indicar sob proposta da Direção-Geral da Saúde, outros especialistas que a Comissão de Saúde venha a deliberar ouvir”.

A proposta surge após ter sido anunciado, a 8 de julho, pelo Presidente da República o fim das reuniões do Infarmed, mas também depois das declarações do presidente do PSD sobre esta matéria.

“Eu devo confessar que as últimas reuniões do Infarmed começam a ter pouca utilidade”, salientou Rui Rio, ao Porto Canal, a 4 de julho. O líder do PSD apontou ainda que “na segunda parte, quando se dá a voz às pessoas para fazerem perguntas, então aí a utilidade ainda é menor”.

Relacionadas

JPP alerta que a Saúde na Madeira está a agravar-se e pede tempos máximos de espera

O JPP diz que o Governo Regional da Madeira não tem cumprido com a saúde, tendo em conta “as extensas listas de espera na saúde, a falta de compromisso pelo pagamento dos complementos salariais prometidos aos assistentes operacionais e aos médicos do SESARAM, o desprezo pelo registo biométrico no Hospital”.

Madeira: PS defende reposição do diferencial fiscal

Com a reposição do diferencial fiscal os socialistas pretendem incentivar o consumo e através dele dinamizar a economia, trazer maior liquidez às empresas através da baixa do IVA e IRC, e uma baixa fiscalidade, o que permitiria atrair mais investimento externo e competitividade.

Marques Mendes culpa Governos de PS, PSD e CDS de “engordarem o porquinho da EDP para fazerem encaixe financeiro” na privatização

Marques Mendes considerou “exagerada” a suspensão de funções de António Mexia e de João Manso Neto da liderança da EDP e da EDP Renováveis e vincou que foi “decretada a morte cívica e profissional de duas pessoas que nem estão acusadas”.
Recomendadas

Governo clarifica medida para explicitar que quem esteve em lay-off pelo menos 30 dias consecutivos tem direito ao complemento de estabilização

A clarificação foi confirmada pelo comunicado do Conselho de Ministros desta quinta-feira, 13 de agosto.

“Festa do Avante? Tem que haver cumprimento das regras vigentes”, garante Governo

“Decisão é da exclusiva responsabilidade da organização mas tem que haver cumprimento das regras vigentes sem qualquer exceção: por exemplo, espaços de alimentação e de atividades culturais têm que cumprir as mesmas regras dos outros espaços a nível nacional”, garantiu Mariana Vieira da Silva.

Banco de Fomento inicia atividade em outubro e arranca com capital social de 255 milhões

Pedro Siza Vieira falou na conferência em imprensa após a reunião do Conselho de Ministros, tendo anunciado a aprovação do Banco de Fomento e cujo diploma entrará em vigor no prazo de 40 dias úteis.
Comentários