PSD: Leitão Amaro vai apoiar candidatura de Luís Montenegro

O ex-deputado do PSD António Leitão Amaro, apoiante de Rui Rio no congresso anterior, vai estar ao lado de Luís Montenegro na sua candidatura à liderança do partido porque “é significativamente melhor” do que o atual presidente.

Cristina Bernardo

Em declarações à agência Lusa, Leitão Amaro explicou por que motivo apoia Luís Montenegro, líder parlamentar de 2011 a 2015, e não Rui Rio: “Tenho estima por Rui Rio, mas acho que Luís Montenegro é melhor, significativamente melhor.”

Para o ex-vice-presidente da bancada social-democrata, há “três diferenças decisivas” que o fazem apoiar Montenegro, de maior “capacidade política”, uma “ideia estratégica de partido” e capaz de lançar “um projeto inspirador”.

Leitão Amaro recordou que o PSD teve os seus “piores resultados em 35 anos” devido a “más opções” feitas pela liderança de Rui Rio, como foi, em sua opinião, “o erro crasso” de alinhar com parte da esquerda no parlamento na votação na recuperação das carreiras dos professores.

Montenegro, afirmou, tem características “mais viáveis” para “ser capaz de construir uma oposição mais eficaz” com “um caminho alternativo”.

Na “ideia estratégica de partido”, António Leitão Amaro é contrário à estratégia de colocar o PSD ao centro, seguida por Rio, e de acordos com o PS e o Governo.

Além do mais, “em dois anos” o “partido fechou-se”, não teve “capacidade nem de abrir [à sociedade] nem de unir”.

Rui Rio e “alguns dirigentes” tentaram reverter posições estratégicas de Sá Carneiro, Cavaco Silva, ou Pedro Passos Coelho, insistindo que o partido deve ter “uma posição de alternativa ao PS, não de subordinação e de muleta”, e que “agregue as várias sensibilidades no centro e na direita”.

É preciso, defendeu, que o PSD “seja uma grande casa eminentemente e maioritariamente social-democrata, mas aberta outras sensibilidades”, entre eles pessoas com origem na democracia-cristã, liberais ou conservadores.

O Conselho Nacional do PSD vai reunir-se hoje em Bragança para marcar a eleição direta do presidente do partido e o próximo congresso.

A direção propõe que o 38.º congresso se realize em Viana do Castelo entre 07 e 09 de fevereiro, após as eleições diretas para o presidente do PSD em 11 de janeiro, com uma eventual segunda volta no dia 18.

Além de Rui Rio, que se recandidata, há mais dois candidatos, o ex-líder parlamentar Luís Montenegro e Miguel Pinto Luz, vereador na câmara de Cascais.

Ler mais
Relacionadas

PremiumLuís Montenegro tem o deputado do PSD Pedro Alves como diretor de campanha

Pedro Alves vai apoiar o ex-líder parlamentar social-democrata nas diretas de janeiro. Deputado diz que nunca escondeu “divergências estratégicas” com Rui Rio e defende um “PSD grande e coeso”.
Recomendadas

Marcelo diz que respeita escolha de Costa Silva pelo primeiro-ministro

Presidente diz respeitar as “escolhas feitas pelo primeiro-ministro quanto a colaboradores com importância e particular responsabilidade para missões específicas”, referindo-se ao novo conselheiro económico de António Costa.

PSD junta-se ao BE e PCP para pedir apreciação parlamentar do decreto das PPP na saúde

Os social-democratas acompanham a intenção dos bloquistas e comunistas por considerarem que o novo regime introduz elementos que podem levar à “desvalorização de critérios de racionalidade e eficiência administrativas”.

10 de Junho celebrado nos Jerónimos com discursos de Tolentino Mendonça e do Presidente

O Dia de Portugal vai ser assinalado com uma “cerimónia simbólica” no Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa, às 11:00 de 10 de Junho, com discursos do presidente das comemorações, cardeal Tolentino Mendonça, e do chefe de Estado.
Comentários