Putin recebe segunda dose da vacina russa contra a Covid-19

Tal como da primeira vez não existe registo fotográfico do momento, nem foi revelado qual das três vacinas russas foi administrada ao presidente da Rússia.

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, recebeu esta quarta-feira a segunda dose de uma das vacinas russas contra a Covid-19, segundo a “Reuters”.

O Kremlin disse no mês passado que Vladimir Puti tinha recebido a primeiro dose sem revelar detalhes ou mostrar fotografias. Não foi dito qual das três vacinas da Rússia foi administrada ao presidente russo, embora a mais conhecida das quais é o Sputnik V. Desta vez, também não foram reveladas quaisquer imagens do momento ou informação sobre a vacina administrada.

Na altura, o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov justificou que “não estamos a revelar deliberadamente qual a vacina que o presidente recebeu, porque todas as três vacinas russas (fabricadas) são absolutamente confiáveis ​​e eficazes”.

Peskov disse que Putin tem feito muito para promover as vacinas fabricadas na Rússia. Além da Sputink Moscovo também deu aprovação de emergência para duas outras vacinas domésticas, EpiVacCorona e CoviVac. Sobre a ausência de fotografias do momento, Peskov explicou que Putin não gostou da ideia de ser vacinado diante das câmaras.

Na semana passada, o governo alemão anunciou que está prestes a começar negociações bilaterais com a Rússia para a compra de vacinas contra a covid-19. Ao contrário dos alemães, a Comissão Europeia não planeia entrar em conversações com a Rússia para elaborar um contrato preliminar para a vacina.

A Sputnik V, foi desenvolvida pelo Instituto Gamaleya de Moscou e provou ser 91,6% eficaz contra a Covid-19, tendo sido aprovada para uso em mais de 50 países. Esta semana, a India aprovou o uso da Sputink V.

Ler mais
Relacionadas

Merkel, Macron e Putin em conversas sobre produção e uso da vacina russa na União Europeia

A possibilidade de colaboração entre a UE e a Rússia está dependente do avanço das análises da Agência Europeia do Medicamento (EMA). O Governo alemão já se tinha mostrado disponível para usar a vacina Sputnik V quando esta recebesse a ‘luz verde’  do regulador europeu. Para já, o fármaco russo será apenas a ser produzido em Itália, a partir de julho.

França acusa vacina da Rússia de ser “ferramenta de propaganda”

À semelhança da China, Le Drian argumenta que a Rússia está a a usar a vacina para ganhar influência no exterior “antes mesmo de vacinar as próprias populações”.
Recomendadas

Portugal com 32% da população com a primeira toma da vacina

Face aos dados da semana anterior, há mais 285 mil pessoas com a primeira dose de uma vacina administrada e mais de 300 mil pessoas que ficaram com a vacinação completa ao longo dos últimos sete dias.

Confederação do Turismo: abertura do corredor turístico com Reino Unido é “ótima notícia”

Questionado se está preocupado que a forte afluência de turistas nesta fase possa fazer aumentar o número de novas infeções por covid-19, o presidente da CTP afirmou que não, sustentando que tal se deve ao facto de “todos os turistas, sem exceção,” terem de apresentar “um teste negativo realizado nas 48 horas anteriores” a desembarcarem em qualquer um dos aeroportos nacionais.

Cientistas criam dispositivos de testagem que produzem resultados em tempo recorde

Investigadores das universidades da Florida, nos Estados Unidos, e Chiao Tung, em Taiwan, desenvolveram um biossensor que permite detetar num segundo biomarcadores para o coronavírus que provoca a covid-19. O trabalho foi divulgado na publicação Journal of Vacuum Science & Technology B, do Instituto Americano de Física.
Comentários