Santa Casa assina contrato de 3,7 milhões com fornecedor norte-americano de “raspadinhas”

A IGT Global Solutions já tinha sido escolhida em 2016 para o fornecimento de bilhetes de lotaria instantânea durante três anos, num concurso público no valor de 28,5 milhões de euros.

A Santa Casa da Misericórdia de Lisboa assinou um contrato no valor de 3.752.600 euros com a empresa norte-americana IGT Global Solutions Corporation para o fornecimento de bilhetes de lotaria instantânea, vulgarmente conhecidos por “raspadinhas”, bem como serviços associados. O procedimento celebrado a 20 de fevereiro e divulgado nesta segunda-feira no portal de contratação pública BASE, decorreu por ajuste direto com uma entidade que já tinha contratos do mesmo tipo com  a Santa Casa e irá vigorar durante quatro meses.

Segundo o contrato, os 3,752 milhões de euros acrescidos de IVA são o valor máximo a pagar pela concessionária de jogos sociais, somando 3.070.582 euros referentes ao fornecimento dos bilhetes de lotaria instantânea e “correspondentes serviços de consultoria, assistência e aconselhamento comercial e de marketing” a 682.028 euros correspondentes à eventual necessidade de transporte aéreo aplicável a cinco jogos, “apenas para o caso de ser necessário evitar ruturas dos respetivos fornecimentos”. E o Departamento de Jogos da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa não fica obrigado a executá-los.

O contrato, que prevê diversas penalidades em caso de atrasos no fornecimento – que poderão ser equivalentes à totalidade do fornecimento se o atraso for superior a 20 dias – ou de inconformidades nos bilhetes, terminará no prazo de dez dias caso seja levantada a suspensão que impende sobre um procedimento aquisitivo anterior ou transitar em julgado a decisão sobre a ação de impugnação que impende sobre esse fornecimento.

Em junho de 2016, a IGT Global Solutions Corporation Corporation venceu um concurso público no valor de 28,5 milhões de euros, acrescidos de IVA, para o fornecimento de bilhetes físicos de lotaria instantânea e serviços de consultoria, assistência e aconselhamento comercial e de marketing com uma duração de três anos (1095 dias).

As “raspadinhas” garantiram a maioria das receitas geradas pelo Departamento de Jogos da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa em 2018, o último ano para o qual existem dados oficiais, numa faturação de 1.574 milhões de euros.

 

Ler mais
Relacionadas

Raspadinha está a aumentar casos de jogo patológico

Cada português gasta, em média, 160 euros por ano nesta lotaria instantânea. Já os espanhóis gastam 14 euros por ano.

Raspadinha “está sempre isenta de IVA”, diz o Fisco

A venda e revenda de “raspadinhas” está isenta de IVA e para que esta isenção seja aceite pelo fisco não é necessário que a fatura mencione o nome do jogo bastando que refira o valor de venda da raspadinha.

Faltam raspadinhas na região norte do país

A empresa Urbanos Express, que encerrará na próxima segunda-feira, recusa que haja problemas na distribuição e afirma que “a acontecer será um caso pontual”. A SCML garante que “tem conhecimento da existência de casos muito pontuais”.
Recomendadas

Haitong Bank antecipa pagamento a fornecedores portugueses e oferece viseiras

O banco de investimento decidiu pagar a pronto as faturas aos fornecedores em Portugal e oferecer material de proteção individual à maternidade Alfredo da Costa.

Produção industrial em Itália cai 2,4% em fevereiro

Em termos homólogos, a produção industrial subiu em bens de capital (1,4%) e baixou a de bens de consumo (3%), a de bens intermédios (2,3%) e a de energia (0,6%).

Mais de 10 mil pessoas protegidas pelo seguro Covid-19 da Tranquilidade/Generali

O produto destina-se a empresas que pretendem proteger os trabalhadores, sobretudo as que continuam em atividade nos seus edifícios e o risco de infeção é superior. Lançado há 10 dias, foi desenvolvido em parceria com a AdvanceCare e garante um subsídio diário de 100 euros por cada dia de hospitalização por esta doença.
Comentários