Sindicato dos Jornalistas preocupado com adesão da Global Media à retoma progressiva

O plano, tal como já tinham avançado à Lusa trabalhadores da dona do DN, JN e TSF, entre outros títulos, começará a ser aplicado a partir de 05 de maio até ao final de setembro – mês em que está previsto terminar o apoio à retoma progressiva, uma das medidas criadas para mitigar o impacto da pandemia.

O Sindicato dos Jornalistas manifestou esta quarta-feira “profunda preocupação” com a Global Media, que comunicou a adesão do grupo ao apoio à retoma progressiva, o que vai implicar cortes para salários brutos superiores a 1.995 euros por mês.

Manifestando “toda a solidariedade” para com os trabalhadores, o Sindicato dos Jornalistas (SJ) sublinha, em comunicado, o impacto que a decisão da Global Media Group (GMG) vai ter na vida pessoal dos trabalhadores, “aos quais se vai pedir maior esforço pelo mesmo ou menor salário”.

De acordo com o comunicado do SJ, a adesão à medida do apoio extraordinário à retoma progressiva (criada em agosto na sequência do ‘lay-off’ simplificado) vai implicar uma redução de até 40% do horário de trabalho.

O plano, tal como já tinham avançado à Lusa trabalhadores da dona do Diário de Notícias (DN), Jornal de Notícias (JN) e TSF, entre outros títulos, começará a ser aplicado a partir de 05 de maio até ao final de setembro – mês em que está previsto terminar o apoio à retoma progressiva, uma das medidas criadas para mitigar o impacto da pandemia de covid-19.

Em comunicado, o Sindicato de Jornalistas refere que o plano poderá “pôr em causa a qualidade do jornalismo que é produzido pelos diversos órgãos daquele que é o maior grupo privado de comunicação social”, até porque acontece, lembra, “seis meses depois de um despedimento coletivo (de 81 trabalhadores, entre eles 17 jornalistas), que apenas não visou a TSF.

Este despedimento antecedeu a entrada do acionista maioritário Marco Galinha, do Grupo Bell, em setembro do ano passado, refere o SJ, assinalando que “cerca de meio ano depois, a situação financeira do GMG” serve para justificar a adesão a este novo plano, “apesar de a administração ter assumido que há sinais positivos nos vários órgãos do grupo”.

“O SJ estranha este cenário, mais ainda porque há poucas semanas houve novas contratações e investimentos, bem como promessas de aumentos em alguns meios de comunicação social do grupo e espera que a adoção do mesmo não seja um paliativo para a aplicação de outro tipo de medidas mais prejudiciais para os trabalhadores”, sublinha.

O SJ adianta ainda ter pedido, na semana passada, uma reunião urgente ao presidente do conselho de administração (CA) do GMG, “a propósito dos atrasos no pagamento aos colaboradores”, relativo a trabalhos realizados em fevereiro, “situação que, à data de hoje, se mantém para alguns deles”.

“A resposta chegou hoje apenas com a indicação de que Marco Galinha atenderá o pedido de reunião em ‘data a conjugar’ na agenda”, assinala o comunicado.

Ler mais
Recomendadas

Amazon em negociações para comprar estúdios da MGM por 9 mil milhões de dólares

MGM (acrónimo de Metro-Goldwyn-Mayer Inc.) é um dos estúdios mais famosos de Hollywood, reconhecido pelo logótipo do leão, responsável pelas produções dos icónicos “E Tudo o Vento Levou” (1939), “Feiticeiro de Oz” (1939), “Ben-Hur” (1959) ou “2001 – Odisseia no Espaço” (1968).

Praias. 10 razões pelas quais utentes e concessionárias podem sofrer coimas que vão dos 50 aos mil euros

Desde a violação da obrigação de uso de máscara no acesso à praia, até à violação das regras de cirulação ou o incumprimento do distanciamento social, são algumas das razões para as coimas. As regras para o verão português de 2021 entram em vigor a partir de amanhã, 19 de maio.

Groundforce avisa que pagamento dos salários de maio está em risco com pedido de insolvência pela TAP

O acionista maioritário alerta que o pedido de insolvência também “vai dificultar a operação de venda que se encontra em curso com diversos players internacionais do setor”. Pedro Nuno Santos é ouvido hoje no Parlamento sobre a situação na empresa com 2.400 trabalhadores.
Comentários