Sindicato dos Quadros alarga serviços de saúde dos bancários associados

O Sindicato liderado por Paulo Gonçalves Marcos anunciou que vai comparticipar os testes à Covid-19 prévios a determinadas a intervenções médicas (cirurgias, partos, quimioterapias, radioterapias, endoscopias e colonoscopias) e as vídeo-consultas através de um maior número de prestadores de saúde, abrangendo, não só a medicina geral e familiar, como diversas especialidades médicas.

Cristina Bernardo

O Sindicato Nacional dos Quadros e Técnicos Bancários (SNQTB) acaba de alargar os serviços prestados nos cuidados de saúde dos seus associados, passando a comparticipar os testes à Covid-19 prévios a determinadas a intervenções médicas (cirurgias, partos, quimioterapias, radioterapias, endoscopias e colonoscopias) e as vídeo-consultas através de um maior número de prestadores de saúde, abrangendo, não só a medicina geral e familiar, como diversas especialidades médicas.

Em comunicado, o sindicato liderado por Paulo Gonçalves Marcos diz que “devido à evolução crescente da necessidade de realização de testes de diagnóstico à Covid-19, e por forma a complementar a oferta disponibilizada pelo Serviço Nacional de Saúde, o SNQTB negociou também os valores dos testes não comparticipados com alguns prestadores de saúde, através de condições especiais exclusivas para os associados”.

“No atual contexto pandémico, proteger a saúde da população é uma das nossas prioridades. Através do SAMS Quadros, disponibilizados um conjunto alargado de serviços de cuidados de saúde e com estas novas medidas reforçamos a nossa atuação nesta área. Estamos sempre junto dos nossos associados para os apoiar e continuaremos a trabalhar para lhes oferecer mais e melhores serviços, adaptados ao atual contexto. A possibilidade da realização das vídeo-consultas comparticipadas é uma adaptação a uma nova realidade e que tem sido uma mais valia, evitando deslocações às unidades de saúde”, salienta Paulo Gonçalves Marcos, presidente do SNQTB.

Recomendadas

Ferro Rodrigues destaca papel dos parlamentos na recuperação europeia

O presidente da Assembleia da República destacou esta sexta-feira a urgência de pôr em marcha o Fundo de Recuperação europeu e realçou o papel dos parlamentos dos Estados-membros para a que verbas sejam desbloqueadas.

“É quase inevitável que o crédito malparado começe a aumentar novamente”, diz Dombrovskis

Vice-presidente da Comissão Europeia realça que o malparado diminuiu na banca portuguesa nos últimos anos. No entanto, admite que a crise provocada pela pandemia se irá traduzir num aumento quase “inevitável” do crédito malparado, destacando por isso o Plano de Ação de Bruxelas para combater os créditos improdutivos.

Recuperação da economia portuguesa não acompanhará ritmo da europeia

A recuperação da economia portuguesa após a crise pandémica “deverá acompanhar apenas temporalmente a recuperação europeia, mas não o seu ritmo”, segundo o relatório trimestral da consultora SaeR (Sociedade de Avaliação de Estratégia e Risco) divulgado esta sexta-feira.
Comentários