Singapura é o local escolhido para o encontro entre Kim Jong-un e Donald Trump

A histórica cimeira entre o Presidente norte-americano, Donald Trump, e o líder norte-coreano, Kim Jong-un, realiza-se em meados de junho em Singapura, noticiou hoje o diário sul-coreano Chosun Ilbo.

A histórica cimeira entre o Presidente norte-americano, Donald Trump, e o líder norte-coreano, Kim Jong-un, realiza-se em meados de junho em Singapura, noticiou hoje o diário sul-coreano Chosun Ilbo.

Trump disse na sexta-feira que a data e o local do encontro tinham sido definidos e seriam em breve anunciados.

A cimeira decorrerá “em meados de junho”, afirma o Chosun Ilbo, citando fontes diplomáticas que obtiveram a informação do conselheiro norte-americano para a Segurança Nacional, John Bolton.

A agência de notícias sul-coreana Yonhap também tinha indicado, no fim de semana, que o local favorito para o encontro Trump-Kim era Singapura.

Trump tinha anteriormente dado a entender que a Zona Desmilitarizada (DMZ), onde se realizou no final de abril a terceira cimeira entre as duas Coreias, poderia ser apropriada para o seu encontro com Kim Jong-un.

A Mongólia e a Suíça foram igualmente apontadas como locais possíveis.

Após anos de tensões sobre os programas nuclear e balístico da Coreia do Norte, a península coreana é, desde o início deste ano, palco de uma contenção sem precedentes entre as duas Coreias, que estão ainda tecnicamente em guerra, desde 1953.

Ler mais
Relacionadas

“Temos uma data. E temos um local”. Trump já sabe onde se vai encontrar com Kim

Trump desmentiu uma notícia avançada pelo diário The New York Times segundo a qual o governante terá pedido ao Departamento de Defesa (Pentágono) para preparar opções para reduzir o número de tropas norte-americanas destacadas na Coreia do Sul.
Recomendadas

Eleições EUA: “Nunca recebi um centavo de fontes estrangeiras”, disse Joe Biden pressionado por Trump

“Creio que você tem de esclarecer isto ao povo americano”, insistiu Donald Trump, que também acusou Joe Biden de ter recebido 3,5 milhões de dólares (2,97 milhões de euros) da Rússia e referiu o cargo de Hunter Biden na Burisma, uma empresa de energia ucraniana, com possíveis conflitos de interesse.

Eleições EUA: Norte-americanos queriam botão de silenciamento a funcionar mais no debate

Os pedidos para silenciamento de microfones ligaram-se mais às intervenções de Donald Trump, com a acusação, vinda de vários participantes virtuais, de o Presidente incumbente esconder informações sobre o novo coronavírus, que provoca a doença covid-19.

Assinado primeiro grande acordo pós-Brexit entre Londres e Tóquio

No ano passado, o comércio entre o Reino Unido e o Japão representou mais de 30 mil milhões de libras (33,2 mil milhões de euros), segundo o Governo britânico.
Comentários