Site da APAF pirateado numa manifestação de apoio a Rui Pinto

O site da APAF, que entretanto já voltou à normalidade, surgia com uma configuração completamente diferente da habitual, já que era apresentada com uma foto de destaque de Rui Pinto.

O site da APAF – Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol foi alvo este domingo de um ataque cibernético que terá sido levado a cabo por uma equipa de hackers denominados cyberteamglobal, que apoia o informático Rui Pinto.

O site da APAF, que entretanto já voltou à normalidade, surgia com uma configuração completamente diferente da habitual, já que era apresentada com uma foto de destaque de Rui Pinto e um texto onde era questionada a capacidade da justiça portuguesa em investigar alguns casos do futebol português e era feito um apelo para que acabasse a corrupção no futebol.

O Tribunal de Instrução Criminal (TIC) de Lisboa decidiu esta sexta-feira levar a julgamento Rui Pinto, criador do Football Leaks, por 93 crimes de acesso ilegítimo, acesso indevido, violação de correspondência, sabotagem informática e tentativa de extorsão, deixando cair 53 crimes de violação de correspondência.

Além da indiciação por estes 93 crimes, Rui Pinto soube esta sexta-feira que irá manter-se em prisão preventiva. Segundo a SIC Notícias, caíram alguns dos crimes de violação de correspondência por os visados não terem apresentado queixa.

 

Recomendadas

PremiumOrçamento de longo prazo da União Europeia continua num impasse

Líderes europeus discutem em Bruxelas a dotação de verbas do próximo quadro plurianual, mas ‘Amigos da Coesão’ e ‘contribuintes líquidos’ só concordam em discordar da proposta apresentada por Charles Michel.

Covid-19: Economia da China poderá retomar normalidade no segundo trimestre, diz diretora do FMI

Segundo a diretora-geral do FMI, em janeiro foi projetado “um crescimento global de 2,9%, no ano passado, para 3,3% neste ano. Desde então, o Covid-19 – uma emergência de saúde global – interrompeu as atividades [económicas] na China”.

ISV: Fisco ‘perde’ recurso por ausência de respostas ao Constitucional

Na origem deste recurso esteve um processo, que correu no Centro de Arbitragem Administrativa (CAAD), movido por um contribuinte que reclamava da forma como foi aplicado o Imposto Sobre Veículos (ISV) num carro usado importado de outro país da União Europeia.
Comentários