Sonae Indústria e Sonae Capital disparam mais de 35% e ficam mais próximas do preço da OPA da família Azevedo

Só a Sonae Indústria disparou hoje 65% na primeira sessão depois da Efanor lançar a OPA sobre a cotada.

A Sonae Indústria e a Sonae Capital registaram fortes ganhos na sessão desta segunda-feira, a primeira depois das ofertas públicas de aquisição (OPA) lançadas pela Efanor, controlada pela família Azevedo.

A Sonae Capital encerrou a subir 36,67% para 0,656 euros, ficando a mais de quatro cêntimos da contrapartida de  0,70 euros por ação oferecida na OPA:

Já a Sonae Indústria disparou 65,15% para 1,09 euros, ficando a cinco cêntimos dos 1,14 euros por ação oferecidos pela Efanor.

A holding da família Azevedo controla 68,8% do capital da empresa, enquanto na Sonae Capital detém 62,8%.

Na sexta-feira foi anunciado o lançamento das duas OPAs pela Efanor sobre as duas cotadas com o objetivo de aumentar a sua participação nas duas cotadas.

A Efanor anunciou na sexta-feira que a sua oferta pela Sonae Capital representava um prémio de 46,8% face ao encerramento a 30 de julho. Por sua vez, no caso da Sonae Indústria a oferta implica um prémio de 77% em relação ao preço de 30 de julho.

O sucesso destas duas operações estará condicionado à aquisição de 90% do capital em cada uma destas empresas.

“A eficácia da oferta ficará subordinada a que a oferente [Efanor] passe a deter, em consequência de oferta pública de aquisição, mais de 90% dos direitos de voto”, de acordo com a Efanor.

O objetivo das operações é depois retirar as empresas da bolsa de Lisboa.

Ler mais

Relacionadas

Sonae Capital e Sonae Indústria disparam mais de 38% depois de OPA lançada pela família Azevedo

A Efanor lançou na sexta-feira duas ofertas públicas de aquisição para passar a controlar estas duas cotadas com o objetivo de as retirar de bolsa.

Efanor lança OPA sobre Sonae Indústria e Sonae Capital

Holding da família Azevedo lançou uma OPA sobre a Sonae Indústria, onde já controla 68,8% do capital da empresa, e uma OPA sobre a Sonae Capital, para adquirir os cerca de 37% que ainda não detém. O sucesso da operação está condicionado à aquisição de mais de 90% dos direitos de voto em ambas as empresas e o objetivo é retirar as duas cotadas da bolsa.
Recomendadas

Bolsas europeias em correção. BCP e Galp pressionam PSI-20

Praças europeias fecham em correcção esta terça-feira, com perdas. PSI-20 recuou 1,35%, pressionado pelo BCP e pela energia. Queda do Brent penalizou a Galp.

Investidores indecisos em Wall Street aguardam primeiro debate entre Biden e Trump

Em Wall Street, o industrial Dow Jones desce 0,29% para 27,505.21 pontos, o generalista S&P recua 0,04% para 3,350.06 pontos e o tecnológico Nasdaq ganha 0,07% para 11,125.46 pontos.

BCP e Altri continuam a manter PSI 20 no ‘vermelho’

Praça lisboeta está agora a cair 0,57%, para 4.064,71 pontos nesta terça-feira, seguindo a tendência das suas congéneres europeias.
Comentários