Sondagem. Ana Gomes supera André Ventura por mais de quatro pontos

Segundo a sondagem da Intercampus para o Jornal de Negócios, Marcelo Rebelo de Sousa lidera as intenções de voto, mas recuou sete pontos face à última sondagem para 60%. Segue-se Ana Gomes e depois André Ventura.

Cristina Bernardo

Ana Gomes tem 4,6 pontos de vantagem sobre André Ventura nas intenções de voto para as eleições presidenciais, segundo uma sondagem da Intercampus para o Jornal de Negócios.

A antiga eurodeputada conta com 14% das intenções de voto, uma subida face aos 8,7% registados em agosto. Mas é de destacar que a sondagem foi realizada antes da socialista anunciar a sua candidatura.

Já André Ventura conta com 9,4%, um recuo face aos 10,1% registados no mês anterior.

Marcelo Rebelo de Sousa lidera a sondagem, mas recuou sete pontos, passando a ter 60,3% das intenções de voto.

Marisa Matias conta com 6,2%, enquanto o PCP tem 2,9% dos votos, sendo que o partido ainda náo tinha anunciado a candidatura de João Ferreira quando a sondagem foi feita.

Recomendadas

Portugal entrega vacinas a Cabo Verde e acelera calendário para lusófonos – Santos Silva

“O nosso compromisso político, que assumimos em fevereiro, de destinar pelo menos 5% das vacinas a que temos direitos ao abrigo da contratação pública europeia, para os países lusófonos africanos e para Timor-Leste, começa a ser cumprida com a antecipação do calendário”, afirmou Augusto Santos Silva.

Autárquicas: Rio diz que eleições deste ano são muito importantes para o PSD

O líder dos sociais-democratas, que falava no Porto na cerimónia descrita em agenda como de apresentação do programa do candidato do PSD a este concelho, garantiu que a direção nacional do partido “empenhou-se a sério na escolha dos candidatos às autarquias, em todas as autarquias sem exceção”, frisando que “um bom candidato não é apenas aquele que é conhecido do grande público porque aparece na televisão”.

PSD quer ouvir António Mendonça Mendes e diretora-geral da AT sobre “ato persecutório” no Fisco

Em causa está a abertura de um inquérito disciplinar ao trabalhador do Fisco que denunciou o “negócio ruinoso” da venda das barragens da EDP no Douro. Os social-democratas consideram que se trata de um “ato de natureza persecutória” e pedem esclarecimentos ao Governo e à Autoridade Tributária e Aduaneira.
Comentários