Sondagem Aximage/JE: Mulheres e mais idosos são os maiores apoiantes de Marcelo Rebelo de Sousa

Presidente da República continua a recolher forte apoio no eleitorado socialista, no qual ainda é mais unânime do que entre os partidos mais à direita.

Marcelo Rebelo de Sousa mantém um nível de aprovação muito elevado enquanto Presidente da República, com 64,1% dos entrevistados numa sondagem da Aximage para o Jornal Económico a fazerem-lhe uma avaliação positiva, contra apenas 11% que consideram que o Chefe de Estado tem uma prestação negativa. No entanto, o apoio é ainda maior entre as mulheres, pois apenas 5,8% das inquiridas não estão convencidas com a sua atuação, contra 68% que fazem uma boa avaliação, enquanto os homens são mais contestatários (59,5% a favor e 17% contra).

Também entre os diversos grupos etários existe relativa unanimidade em torno do atual Presidente da República, mas Marcelo Rebelo de Sousa apresenta o melhor resultado nos entrevistados mais velhos, com 65 anos ou mais: 72,1% dizem que Marcelo Rebelo de Sousa está a desempenhar bem o cargo, e apenas 11,1% o avaliam de forma negativa. Ainda que a percentagem de insatisfeitos com o Chefe de Estado seja ligeiramente inferior nos entrevistados mais novos, dos 18 aos 34 anos, com apenas 8,2% a darem uma má avaliação, é nesse universo que menos pessoas têm boa opinião da atuação de Marcelo, sendo assim 58,1% do total, pois 25% optaram pela resposta “assim-assim”.

O apoio a Marcelo Rebelo de Sousa é quase homogéneo nas várias regiões do país, com a percentagem de inquiridos a responderem “bem” à avaliação a variar entre 58,4% no Centro e 69,4% no Sul e Ilhas, enquanto aqueles que optaram por “mal” a concentrarem-se sobretudo no Norte (13,2%)  e na Área Metropolitana de Lisboa (12,2%).

Chega é principal foco de rejeição

No que toca às intenções de voto legislativo, Marcelo Rebelo de Sousa continua a encontrar apoio muito além dos partidos que o ajudaram a eleger em 2016. Alcança o máximo de avaliação positivas entre aqueles que neste momento votariam no PAN – Pessoas, Animais, Natureza (87,2%), seguindo-se os potenciais eleitorais do PS (82,1%) e só depois do CDS (81,6%), PSD (74,1%) e Inciativa Liberal (73,9).

Ainda bastante satisfeitos com o desempenho do atual Presidente da República estão os inquiridos que votariam CDU (66,6%), seguindo-se os do Bloco de Esquerda (54,2%). No extremo encontram-se os eleitorados do Chega (41,4%) e do Livre (40,6%).

Aqueles que votariam Chega, cujo presidente e deputado único André Ventura oficializou neste sábado a candidatura às presidenciais de janeiro de 2021, são os que demonstram maior tendência para dar uma avaliação negativa à prestação de Marcelo Rebelo de Sousa: 33,9% consideram que desempenha mal o cargo, destacando-se dos eleitores do Iniciativa Liberal (19,8%) e CDU (18,7%). Pelo contrário, apenas 4,9% daqueles que votariam no PS apontam para uma má prestação.

FICHA TÉCNICA

Universo: Indivíduos maiores de 18 anos residentes em Portugal.

Amostra: Amostragem por quotas, obtida a partir de uma matriz cruzando sexo, idade e região (NUTSII), a partir do universo conhecido, reequilibrada por género (2) e escolaridade (2). A amostra teve 839 entrevistas efetivas: 600 entrevistas CAWI e 239 entrevistas CATI; 206 entre os 18 e os 34 anos, 230 entre os 35 e os 49 anos, 211 entre os 50 e os 64 anos e 192 para os 65 e mais anos; Norte 272, Sul e Ilhas 135; Área Metropolitana de Lisboa 254; Centro 178.

Técnica: Aplicação online – CAWI (Computer Assisted Web Interviewing) – de um questionário estruturado a um painel de indivíduos que preenchem as quotas pré-determinadas para os indivíduos com idades compreendidas entre os 18 e os 64 anos; entrevistas telefónicas – metodologia CATI (Computer Assisted Telephone Interviewing) do mesmo questionário devidamente adaptado ao suporte utilizado, ao sub-universo utilizado pela AXIMAGE nos seus estudos políticos, com preenchimento das mesmas quotas para os indivíduos com 50 e mais anos e outros. O trabalho de campo decorreu entre 14 e 18 de fevereiro de 2020.

Erro probabilístico: O processo amostral, não sendo aleatório, implica a não indicação do erro probabilístico. Contudo, para efeitos de comparação, para uma amostra probabilística com 839 entrevistas, o desvio padrão máximo de uma proporção é 0,017 (ou seja, uma “margem de erro” – a 95% – de 3,40%).

Responsabilidade do estudo: Aximage Comunicação e Imagem Lda., sob a direcção técnica de João Queiroz.

 

 

Ler mais
Relacionadas

Marcelo Rebelo de Sousa “acha positiva” candidatura presidencial de Ana Gomes

Presidente da República deu a sua opinião em relação a temas “quentes” da atualidade e aos pontos fortes e fracos dos líderes partidários numa entrevista a Ricardo Araújo Pereira, gravada para a primeira emissão do programa da SIC “Isto é Gozar com quem Trabalha”.
Recomendadas

Parlamento discute hoje e vota referendo sobre a eutanásia na sexta-feira

O parlamento discute hoje e vota na sexta-feira uma proposta de referendo sobre a eutanásia, que divide direita e esquerda, mas em que há um bloco maioritário para a “chumbar”, do PS, BE, PCP, PAN e PEV.

OE2021: Federação sindical pediu alterações ao BE e ao PS

A Federação de Sindicatos da Administração Pública (FESAP) pediu hoje aos deputados do Bloco de Esquerda e do Partido Socialista que proponham alterações ao Orçamento do Estado (OE) para 2021 que respondam às reivindicações dos funcionários públicos.

Marcelo promulga diploma que reduz debates europeus na AR para dois por semestre

O Presidente da República promulgou hoje o diploma aprovado por PS e PSD que reduz os debates europeus no parlamento para dois por semestre, depois de ter vetado uma primeira versão que previa apenas um por semestre.
Comentários