Startup luso-alemã Rows levanta 14 milhões de euros para democratizar folhas de cálculo

A tecnológica com escritórios em Berlim e no Porto, antiga Dashdash, criou uma ‘spreadsheet’ na ‘nuvem’ para aumentar a produtividade das empresas. Com a verba angariada, apresenta esta terça-feira a “Public Beta”, que permite a todas as empresas criarem uma conta e utilizarem a plataforma.

Folhas de cálculo não são o tópico de conversa ou de leitura mais apelativo de sempre, mas é inegável a sua utilidade para o tecido empresarial e, cada vez mais, como negócio. A startup luso-alemã Rows, que criou uma spreadsheet na nuvem (cloud), anunciou esta terça-feira que fechou uma ronda de financiamento de 16 milhões de dólares (cerca de 14 milhões de euros) para democratizar o acesso ao público a estas ferramentas digitais.

A ronda de investimento, série B, foi liderada pela sociedade de capital de risco suíça Lakestar e contou ainda com antigos investidores, como a Cherry Ventures e a Accel, e novos, entre os quais os fundos portugueses Armilar e Shilling.

A empresa fundada por Humberto Ayres Pereira e Torben Schulz em 2016 – anteriormente designada Dashdash – pretende utilizar o montante angariado para reforçar a equipa do Porto e de Berlim e Porto, desenvolver o produto (a folha de cálculo inovadora) e focar-se em aplicações para desktop, colaboração, integrações e gráficos.

O CEO e cofundador da Rows, Humberto Ayres Pereira, considera que as spreadsheets podem fazer “muito mais” do que o habitual e alerta para a dominância dos gigantes neste mercado: “A última década viu milhares de apps de negócios a serem lançadas no mercado. Apesar disso, os incumbentes Google e Microsoft ainda dominam o mercado da produtividade, via as suas folhas de cálculo (Sheets e Excel)”.

“O mundo continua a contar com as spreadsheets para gerir negócios através de biliões de documentos criados e partilhados todos os anos. Contudo, o trabalho moderno requer uma camada de colaboração e conectividade superior às de ferramentas existente”, refere o empreendedor português.

É nesse sentido que a Rows abre também hoje portas, gratuitamente, à sua “public beta”, o que permite a todos os interessados criarem conta e utilizarem a plataforma na cloud. Na prática, a spreadsheet suporta as funções de Excel tradicionais como o SUMIFS, permitem conectar qualquer célula ou tabela a aplicações de negócios como o Salesforce ou o LinkedIn e uma experiência de partilha moderna, que torna folhas de cálculo em websites num só clique.

A oferta destina-se a pequenas empresas, que tenham cerca de dez utilizadores na plataforma, mas há subscrições pagas para as de maior dimensão, cujos preços começam nos 59 dólares por mês.

A ex-Dashdash foi este ano nomeada uma das 25 maiores startups portuguesas fundadas há menos de cinco anos que crescem a dois dígitos em número de trabalhadores ou de faturação, de acordo com o relatório anual “Scaleup Portugal 2020”.

Ler mais
Recomendadas
Miguel Maya

CaixaBank espera lucros de 48 milhões do BCP apesar da provisões para créditos em francos suíços na Polónia

Apesar das provisões de 121 milhões por causa dos créditos hipotecários em francos suíços, o CaixaBank estima que o BCP apresente resultados líquidos no primeiro trimestre de 48 milhões de euros.

Galp distribui dividendo de 35 cêntimos a partir de 20 de maio

A Galp anuncia que aos acionistas que os dividendos se encontram a pagamento a partir do dia 20 de maio de 2021, com as ações a entrarem em ex-dividendo no dia 18. A “record date é a 19 de maio de 2021”, disse a empresa.

Holding da família Queiroz Pereira comprou mais 0,02% da Semapa

A Sodim, SGPS comunicou à Semapa – Sociedade de Investimento e Gestão, SGPS, “que hoje adquiriu em bolsa 1.816 acções, representativas de 0,002% do capital social da Semapa”.
Comentários