Tabela Periódica inspira peça de teatro

Um professor da Universidade do Porto escreveu um livro em que os moradores do bairro são os símbolos químicos. A ideia é levá-la à cena. Esta é uma das muitas iniciativas que assinalam o Ano Internacional da Tabela Periódica dos Elementos Químicos, criada em 1869 por Dmitry Mendeleev.

Há bairros e bairros. Neste bairro imaginado pelo professor universitário Manuel Monte não vivem pessoas… O António deu o lugar ao Alumínio, que também é conhecido pelo “petit nom” de Al, e o Basílio passou a ser o Bário, ou Ba. No Bairro da Tabela Periódica, pois assim se chama, vivem 118 personas, que são nem mais nem menos do que o conjunto de elementos daquela magnífica representação da ciência.

O Hidrogénio, cujo símbolo químico é o H, é o primeiro elemento químico da tabela. O último dá pelo nome de Oganésson, foi sintetizado em laboratório e batizado em 2006. Pelo meio ficam todos os outros, dos mais conhecidos como o Ferro (Fe), o Magnésio (Mg), o Cálcio (Ca) e o Potássio (K), até àqueles que a maior parte de nós nunca ouviu falar, como o Rubídio (Rb), o Háfnio (Hf) ou o Laurêncio (Lr).

No bairro imaginado pelo professor Manuel Monte, os residentes vivem num espaço dividido em quatro blocos, tantos quantos aqueles em que está dividida a tabela periódica. A ação centra-se sobretudo em reuniões de condomínio, onde se discutem temas, como por exemplo, as questões de género, explorando curiosidades como o facto de, na tabela periódica, apenas existirem dois elementos conjugados no feminino – a Prata e a Platina.

Além de inovadora, esta é uma forma didática, criativa e divertida de promover a Tabela Periódica, uma ferramenta que permite prever as propriedades da matéria, na Terra ou em qualquer parte do Universo. Esta obra-prima, criada pelo cientista russo Dmitri Mendeleiev em 1869 com a designação de Sistema Periódico dos Elementos Químicos, reúne as essências da química, da física, da biologia e das ciências que delas floresceram. O cientista organizou e ordenou os elementos químicos conhecidos na altura por colunas e linhas, desenhando um puzzle com alguns buracos para o que viesse a ser descoberto a seguir, como o Galio e o Germânio.

O mundo assinala em 2019 o Ano Internacional da Tabela Periódica dos Elementos Químicos e Portugal celebra a efeméride com um conjunto de iniciativas sob a chancela da Sociedade Portuguesa de Química. A mais popular aconteceu a 29 de janeiro e invadiu as ruas, juntando para cima de 3.000 alunos de várias escolas secundárias em locais emblemáticos das suas cidades. Cada grupo formou uma Tabela Periódica humana.

Recomendadas

Governo avalia criação de incentivos para fixar professores nas escolas

De acordo com o Ministério da Educação, tutelado por Tiago Brandão Rodrigues, estes incentivos estão a ser estudados em articulação com outros ministérios e autarquias.

Orçamento das universidades e politécnicos vai crescer 2% até 2023

Governo e instituições assinam contrato de legislatura. Iniciativa quer garantir estabilidade nas instituições de ensino, aumentar o número de alunos e aponta à convergência com a Europa.

Quatro escolas portuguesas no top 100 europeu

Portugal é o sétimo país europeu com mais escolas representadas no ‘ranking’ do Financial Times. Em 2019 são quatro: Nova SBE, Católica-Lisbon, ISCTE-IUL e Porto Business School.
Comentários