Ter estudos é sinónimo de melhor salário em Portugal

Na OCDE, 68% dos adultos com ensino superior têm remuneração maior do que a mediana. Em Portugal, o número sobe para 80%.

Estudar protege do desemprego e implica um salário maior nos países da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico), grupo em que Portugal está incluído, conclui o “Education at Glance 2018”.

Na OCDE a probabilidade de ganhar um salário maior que a mediana aumenta com o nível de educação: 68% os adultos com ensino superior têm remuneração maior do que a mediana. Em Portugal esse número sobe para 80%.

“Estudar mais em Portugal protege no desemprego e, em termos salariais, compensa imenso”, destaca Cláudia Sarrico, analista de políticas de ensino superior da OCDE.

Estes e outros dados sobre o ensino superior português vão ser discutidos na conferência inaugural da 1ª sessão da Convenção Nacional do Ensino Superior 20/30, lançada pelo CRUP – Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas. O primeiro encontro tem como tema “O ensino superior e a qualificação dos portugueses: o que falta fazer?” e vai decorrer no ISCTE-IUL, a 7 de janeiro de 2019.

Cláudia Sarrico e Pedro Teixeira, diretor do CIPES, participam nos debates, a que se juntam nomes como Pedro Adão e Silva, Maria Mota e Poiares Maduro, que vão discutir os dados apresentados. A moderação ficará a cargo de João Sàágua, reitor da Universidade Nova de Lisboa e a sessão de encerramento será presidida pelo ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva.

Recomendadas

CTT tem 14 vagas para Programa Trainee CTT 2019

Após a seleção dos candidatos, o programa trainee arranca em setembro e prolonga-se por 18 meses.

Portugal e Angola reforçam cooperação na área da ciência

O ministro Manuel Heitor e a sua congénere angolana do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação, Maria do Rosário Sambo, inauguram esta segunda-feira, no Palácio das Laranjeiras em Lisboa a Semana de Ciência Portugal-Angola.

Digital, inovação e empreendedorismo são novidades para este ano

Os programas de MBA querem preparar profissionais para o futuro. Além da tecnologia, houve um reforço nas competências interpessoais.
Comentários