Topo da agenda: o que não pode perder na economia e nos mercados esta terça-feira

O dia ficará marcado pela auditoria ao presidente do Novo Banco que será ouvido no parlamento, mas também pelo estado de contingência que passa a vigorar em todo o território nacional

Terça-feira, 15 de setembro

Evento em destaque: António Ramalho é ouvido no Parlamento

O presidente do Novo Banco, António Ramalho, é ouvido na Comissão de Orçamento e Finanças (COF), na Assembleia da República, às 15 horas, no âmbito dos requerimentos apresentados pelos PS, PAN e IL, e sobre a alienação das carteiras de imóveis e créditos detidos por aquela entidade bancária. O CEO daquela instituição bancária pelos deputados será ouvido uma semana depois de ter sido publicada a auditoria da Deloitte ao Novo Banco/BES, expurgada dos dados considerados confidenciais.

Outros eventos:

INE publica a atividade turística relativa a julho

Portugal entra em Estado de Contingência

Anacom revela relatório trimestral sobre Redes e serviços de alta velocidade

Eurostat publica estatísticas relativas ao emprego

Na Assembleia da República o dia começa às 14h30 com votação em especialidade do projeto de lei do PS sobre a existência de uma declaração Única Rendimentos, patrimónios, bem como será igualmente votado o parecer de avaliação dos efeitos profissionais à luz do Estatuto dos Deputados

Às 15h00 decorrera a comissão de agricultura, uma audição sobre a Mata do Bussaco

Segue-se uma audição requerida pelo Bloco de Esquerda à ministro do Ambiente e ministra da Agricultura sobre a Poluição da Bacia Hidrográfica do Lis.

Paralelamente, às 15h00 a comissão da cultura será ouvida num petição que pede o recuo na suspensão da iniciativa Cultura para Todos.

Às 15h30 será discutido o projeto de resolução da Iniciativa Liberal sobre a suspensão da extradição de Portugal com a China, um projeto submetido no parlamento a 5 de agosto. A Iniciativa Liberal exige a “suspensão imediata” do acordo de extradição entre Portugal e Hong Kong, devido ao fim da independência judicial da região administrativa especial face à China

ÀS 16h00, começa a ser definido o Plano Atividades Comissão para a Sessão Legislativa

 

 

Ler mais

Relacionadas

Deloitte diz que em 2017 o Novo Banco aprovou operações sem a devida autorização do BdP

Trata-se de “uma cessão de créditos sobre um devedor” e da “liquidação do ativo de um devedor insolvente”. Uma gerou perdas para o Novo Banco de 2,6 milhões e outra de 3 milhões.

Deloitte detectou duas situações de crédito em que falhou a aprovação prévia do Fundo de Resolução

A carteira inicial de ativos cobertos pelo mecanismo de capitalização contingente (CCA) do Fundo de Resolução é maioritariamente constituída por operações de crédito a clientes, representando 74% do valor de referência dos ativos abrangidos pelo CCA. Esta categoria inclui exposições de 20 Grupos Económicos relevantes (designadas por Top 44).
Recomendadas

Edmundo Martinho vai liderar comissão para elaborar Estratégia Nacional de Combate à Pobreza

O Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa e mais seis individualidades entre as quais Carlos Farinha Rodrigues, especialista em pobreza e desigualdades, integram a recém-criada comissão que irá elaborar a Estratégia Nacional de Combate à Pobreza que será apresentada pelo Governo até 15 de dezembro. Despacho que cria nova comissão foi hoje publicado em Diário da República e sinaliza que medidas terão em conta a “degradação” das condições materiais de muitos portugueses devido à pandemia.

Topo da agenda: o que não pode perder na economia e nos mercados esta semana

A semana será marcada pela discussão e votação na generalidade do Orçamento do Estado para 2021. Os analistas e investidores estarão ainda atentos à reunião do Banco Central Europeu e aos sinais que chegam sobre a economia, através da publicação da estimativa rápida do PIB da zona euro, do terceiro trimestre.
Vasco Cordeiro com Carlos César

Vasco Cordeiro diz que o PS teve “vitória clara e inequívoca” nos Açores

Líder do PS-Açores, que procura o terceiro mandato enquanto presidente do governo regional, defendeu que as eleições deste domingo “não foram um plebiscito ao governo regional”. E recusou-se a comentar paralelismos com o que aconteceu em 2015, quando a coligação liderada por Passos Coelho foi a mais votada, mas o seu governo acabou por ser derrubado na Assembleia da República.
Comentários